Brasileira é acusada de tentar extorquir juíza na Inglaterra

Uma faxineira brasileira foi acusada na Inglaterra de tentar extorquir a namorada de seu patrão com vídeos comprometedores, informou o site do The Guardian. A primeira audiência do caso aconteceu na terça-feira, 19. A brasileira de 37 anos, que durante o testemunho foi chamada de "D", teria ameaçado tornar público vídeos de relações sexuais entre seu patrão,que é um juiz, e a dele namorada, também juíza, caso não recebesse cerca de 20 mil libras (aproximadamente R$ 81 mil).Segundo a promotoria, o juiz, apelidado pela corte de "Senhor I", teve um caso com a brasileira, mas, na metade de 2005, quis terminar com a empregada. Porém, temendo o envio do vídeo aos seus superiores, "Senhor I" decidiu mantê-la em seu lar contra sua vontade. "Ele ofereceu pagá-la 1.400 libras (pelo vídeo), mas ela recusou", disse o promotor David Markham, citado pelo The Guardian. Porém, em outubro, as chantagens acabaram quando a juíza, citada no processo como "Senhora J", decidiu chamar a polícia e denunciar a tentativa de extorsão. A brasileira foi presa logo depois. Segundo a promotoria, os dois juízes eram amantes até o ano 2000. "(O romance) acabou, mas eles continuaram sendo bons amigos e colegas de profissão", disse o promotor. Ambos contrataram a brasileira ainda em 2000.De acordo com o promotor David Markham, "a ré é uma brasileira que desembarcou" na Inglaterra em 1998. "Ela obteve visto para permanecer no Reino Unido até o fim de 1999 com a condição de que qualquer trabalho feito por ela deveria ter o aval de autoridades." A faxineira nega as acusações de chantagem e de roubo das fitas. O julgamento deverá ser retomado na quinta-feira, 21.

Agencia Estado,

20 de setembro de 2006 | 18h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.