Brasileira é condenada por chantagear juíza britânica

A brasileira Roselane Driza, de 37 anos, foi condenada nesta sexta-feira, 20, a dois anos e nove meses de prisão, em Londres. De acordo com a sentença do juiz Peter Beaumont, ela terá que cumprir a pena de 30 meses por subornar uma juíza da imigração britânica identificada apenas como "J" para quem trabalhou ilegalmente como faxineira e três meses por roubar fitas de vídeo nos quais um outro magistrado, Mohammed Ilyas Khan, de 60 anos, com quem ela teve um romance, aparece mantendo relações sexuais com a juíza. O juiz declarou que Roselane agiu dessa forma "por ganância ao ver que era uma oportunidade para ganhar muito dinheiro". Mesmo condenada, a brasileira sorriu e mandou beijos para as pessoas que estavam no tribunal enquanto era levada para a cadeia. Sua advogada disse que vai recorrer da sentença.Roselane, que teve um romance com Khan após ser demitida por "J", foi acusada no mês passado, quando o caso ganhou destaque em vários jornais britânicos, mas a sentença só foi anunciada nesta sexta-feira. A brasileira chantageou a juíza, exigindo o pagamento de US$ 38 mil dólares após encontrar dois vídeos eróticos no qual, em um deles, Khan aparece mantendo relações com "J" e um outro no qual ele aparece com outra mulher. Caso contrário, ela ameaçou procurar a Justiça para apresentar as imagens. Roselane, que vive ilegalmente na Inglaterra, será deportada após cumprir a sentença. A juíza não foi identificada durante o processo devido à lei que protege vítimas de chantagem na Grã Bretanha. O casal de juízes que afirma que não sabia da condição ilegal da brasileira foi suspenso de suas atividades enquanto uma investigação do Departamento de Assuntos Constitucionais da Grã-Bretanha avalia a conduta disciplinar dos dois.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.