Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Brasileira morre tentando entrar nos EUA

Mais um brasileiro morreu na perigosa travessia da fronteira entre o México e os Estados Unidos. O corpo da enfermeira Vilma Ribeiro Machado, de 41 anos, foi descoberto pela polícia norte-americana em Tucson, no Arizona. Foi a segunda morte de emigrantes goianos registrada nas últimas semanas. No dia 3 de junho, o sapateiro Welton Divino Feliciano, de 34 anos, morreu abandonado no deserto do Arizona, perto de Douglas. Na semana passada, um grupo com 14 goianos foi preso na fronteira com o Texas. O sonho da enfermeira de ganhar dinheiro em Seattle, nos Estados Unidos, onde vivem seus irmãos, começou a ruir no México, onde chegou há duas semanas. Acompanhada de uma irmã e uma sobrinha, Vilma contratou o serviço de coiotes -- guias especializados em atravessar a fronteira com os Estados Unidos, mediante pagamento. A primeira tentativa não deu certo. As três foram presas e deportadas para o México. Mas não desistiram e procuraram outro coiote. Prometeram ao guia que pagariam US$ 5 mil por pessoa quando chegassem a Sacramento, na Califórnia, onde vive um irmão de Vilma. Desta vez, os coiotes organizaram os clandestinos em duplas e Vilma acabou se separando das parentes, que conseguiram atravessar a fronteira. A enfermeira, porém, nunca mais deu notícias, o que preocupou a família. Dias depois, a pessoa que fazia dupla com Vilma foi presa nos Estados Unidos e contou que a enfermeira havia morrido no deserto do Arizona. Seu corpo foi localizado em Tucson pelo consulado brasileiro em Los Angeles. O necrotério da cidade apontou desidratação como causa da morte. Presos No Texas, 25 brasileiros e 4 mexicanos foram presos ontem, depois que a polícia recebeu informação de que várias pessoas estavam saindo de um caminhão trailer. No grupo, havia quatro mulheres e muitas pessoas estavam com desidratação e inanição. Todas foram examinadas, mas nenhuma necessitou de tratamento médico. O chefe de polícia de Sweetwater, Jim Kelley, disse ao jornal Abilene Reporter-News que os imigrantes permaneceram no caminhão por vários dias. Um homem aparentando 45 anos, apontado pelas autoridades como o condutor do veículo, foi detido depois de tentar fugir do local. As autoridades ainda buscam outros cinco imigrantes ilegais, que conseguiram escapar. Em Houston, outro grupo de 30 imigrantes ilegais foi encontrado pela polícia. Estavam fechados em três dormitórios e um banheiro de uma casa. Eram procedentes de Honduras, Guatemala, México, El Salvador e Peru.

Agencia Estado,

09 de julho de 2004 | 07h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.