Brasileiro agredido em festa continua internado na Austrália

Marcus Vinícius de Moraes, de 27 anos, sofreu traumatismo craniano e já passou por duas cirurgias

Guilherme Waltenberg,

05 Fevereiro 2013 | 17h38

SÃO PAULO - Um brasileiro foi internado em Sidney, na Austrália, após ser agredido em uma festa no sábado, 2. Marcus Vinícius de Moraes, de 27 anos, sofreu traumatismo craniano e, desde que foi internado, já passou por duas cirurgias. De acordo com sua mãe, a professora Andréa Maria Ritter, o estado de saúde do seu filho é estável.

Andréa contou que Marcus Vinícius foi agredido por seguranças de uma festa que participava, mas as circunstâncias ainda são desconhecidas. "Era uma festa de um amigo brasileiro que ganhou o visto permanente (para morar na Austrália). Ele foi retirado da festa por seguranças, mas ainda não se sabe o porquê", afirmou Andréa.

Segundo a mãe, não é possível ainda saber se Marcus Vinícius terá alguma sequela devido a agressão. "Não sabemos se haverá danos permanentes. Estão sendo feitas baterias de exames, mas ele já se movimenta e tem reconhecido pessoas, sabe onde está. Vai respondendo às perguntas, fala uma ou outra palavra, mas não tudo", afirmou.

A mãe de Marcus Vinícius chega ao país no próximo dia 29 e afirmou já estar em contato com o consulado brasileiro na cidade australiana. "À tarde recebi a confirmação do meu visto, estou com o telefone direto deles por lá", disse. Segundo ela, o cônsul de Sidney, inclusive, fez uma visita ao seu filho no hospital.

De acordo com a assessoria de imprensa do Itamaraty, o consulado geral do Brasil em Sidney já está ciente do caso e mantém contato com a família do rapaz e com as autoridades policiais sobre o caso. Já houve outros casos de agressão a brasileiros na Austrália. Em março do ano passado, o brasileiro Roberto Laudisio Curti foi morto pela polícia local por supostamente ter roubado uma loja de conveniência.

Mais conteúdo sobre:
internação brasileiro Austrália

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.