AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Brasileiro deve escapar da pena de morte nos EUA

O brasileiro Saul dos Reis Júnior, de 24anos, foi acusado hoje formalmente pelo Estado de Connecticut dehomicídio culposo (não intencional) na morte da americanaChristina Long, de 13 anos, que ele conheceu pela Internet. No mesmo mandado judicial para sua prisão, concedido pelo juizestadual Patrick Carroll III à polícia de Danbury, cidade ondeChristina morava, Reis também teve duas acusações de atentadosexual e duas de risco de lesão corporal contra menor.Pelas leis estaduais de Connecticut, juntos esses crimes sãopuníveis com até 60 anos de prisão, mais US$ 65 mil de multa. AJustiça determinou fiança de US$ 1 milhão para Reis responder aoprocesso em liberdade. "O aspecto positivo dessas acusações é que até as autoridadesacreditam que a morte da garota foi um acidente e não hápossibilidade de ele ser condenado à pena de morte", salientouo advogado de defesa do brasileiro, James Lenihan.A legislação estadual prevê a pena capital para casos deassassinato. Reis teria confessado à polícia que estrangulouChristina acidentalmente enquanto faziam sexo no carro dele. Detido desde o dia 20 no Centro Correcional de Bridgeport, emConnecticut, ele foi transferido ontem para a prisão de CentralFalls, no Estado de Rhode Island.A família dele é proprietária de um restaurante em PortChester, no Estado de Nova York, cidade vizinha de Danbury. Opai adotivo de Reis, Isaías Arruda, que é evangélico, diz quenão pode pagar a fiança exigida. "Tudo o que posso fazer é orarpara que Deus faça o melhor para o meu filho", lamentou ocomerciante.Além das acusações formalizadas ontem, Reis enfrenta outrosproblemas com a Justiça americana. Na semana passada, o Serviçode Imigração e Naturalização (INS) pediu que o brasileiro fossemantido sob custódia do Estado de Connecticut por estar no paíscom visto de turista vencido em 1993. A ilegalidade, normalmente, é punida com a extradição. Mas é difícil que isso ocorra nocaso de alguém envolvido em crime.Na quinta-feira, um júri indiciou Reis pelo crime federal deusar a Internet para seduzir Christina a ter relações sexuaiscom ela, punível com pena máxima de 15 anos de prisão, maismulta e três anos de liberdade vigiada. Na próxima semana deveocorrer uma audiência para citação de Reis sobre esse caso.Segundo o Federal Bureau of Investigation (FBI), a políciafederal norte-americana, o rapaz trocou correspondênciaeletrônica com Christina entre 28 de abril e 17 de maio, quandomarcou encontro com ela num shopping de Danbury.Durante as investigações, o FBI descobriu que a garota,considerada boa aluna, coroinha e chefe de torcida de uma escolacatólica, tinha um site na Internet com fotos eróticas, textosinsinuantes e teria se relacionado com outros homens mais velhosantes de conhecer Reis.Desde que o rapaz foi detido, Silviane Arruda, sua mãe adotiva o viu por alguns minutos durante uma audiência na corte federalde Bridgeport, na semana passada, e só conversou pessoalmentecom ele na quinta-feira à tarde.Hoje, quando chegou para a segunda visita no centrocorrecional, ela soube que o filho havia sido transferido para aprisão de Rhode Island. "Ninguém explicou por que o levarampara outro Estado", reclamou o advogado de defesa. "Mas vamosfazer tudo para trazê-lo perto da família."

Agencia Estado,

31 de maio de 2002 | 21h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.