Brasileiro é morto ao assaltar banco em Lisboa, diz imprensa

Mídia portuguesa diz que cúmplice brasileiro ficou ferido; dupla fez 6 reféns em agência bancária na quinta

BBC Brasil,

08 Agosto 2008 | 08h58

Um brasileiro morreu e outro ficou ferido depois que a polícia portuguesa cercou a agência do Banco do Espírito Santo (BES), no centro de Lisboa, que ambos tentaram assaltar, de acordo com a imprensa portuguesa. O Jornal de Notícias afirma que os assaltantes tinham entre 20 e 30 anos de idade.   Veja também: Após 8 horas, reféns de assaltantes em Lisboa são libertados   "A subintendente do Comando Metropolitano, Floribela Carrilho, informou que o outro assaltante ficou gravemente ferido, estando neste momento no Hospital São José", segundo O Público. A polícia disse em comunicado que recebeu um alerta do assalto por volta das 3h04 da tarde, hora local. Os assaltantes tinham tomado seis reféns, que algemaram com braçadeiras plásticas, afirmou O Público, citando um comunicado da polícia que teria sido lido no local do incidente.   "Quase de imediato foram libertadas quatro (pessoas) - dois homens e duas mulheres", diz o jornal. "Os outros dois reféns, um homem e uma mulher, ficaram retidos pelos suspeitos que estavam de posse de armas de fogo". "De acordo com a polícia, cerca das 23h00 os dois homens aproximaram-se das portas a dependência do BES 'ameaçando os reféns com armas de fogo'", afirma O Público, citando o comunicado policial.   "Um deles surgiu agarrado a uma das reféns, a gerente do banco, ficando durante mais de 20 minutos a apontar-lhe uma arma ao pescoço. O outro refém, também agarrado por um dos assaltantes, esteve com uma arma apontada à nuca", diz O Público. Os atiradores de elite da PSP (Polícia de Segurança Pública) deram três tiros, matando um dos assaltantes e ferindo o outro. Os reféns saíram ilesos, diz a reportagem do Jornal de Notícias.

Mais conteúdo sobre:
Portugal assalto brasileiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.