Brasileiros detidos nos EUA devem retornar ao Brasil

Os duzentos brasileiros que estão detidos nos Estados Unidos por imigração ilegal retornarão ao Brasil em 15 dias. O avião encarregado do transporte deverá fazer a primeira escala no aeroporto de Belo Horizonte , segundo entendimentos mantidos com o governador Aécio Neves. De lá, o avião deve seguir para Goiás. A maior parte dos brasileiros que estão voltando é originária de Minas Gerais, Goiás e Rondônia. Em entrevista à Agência Brasil, o deputado João Magno (PT-MG) - integrante da missão brasileira que negociou com o governonorte-americano o retorno ? informou que os últimos detalhes da operação já foram definidos também com o Ministério da Justiçae com o Itamaraty. "O governo brasileiro expressou sua concordância e certamente dentro de quinze dias esse primeiro vôo chegará ao Brasil", afirmou o parlamentar. Segundo Magno, o governo do Brasil exigiu que os brasileiros não sejam transportados em avião militar, não sejam algemadose nem usem uniforme de prisão durante a viagem de retorno: "eles vão retornar em uma condição digna, não vão comocriminosos. Es tão indo como pessoas que vieram aqui tentar ganhar a vida". João Magno informou que o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos divulgou uma nova contagem do númerode brasileiros que estão em situação irregular no país: de 922 anunciados inicialmente, subiu para 1622. "Somente nestaquinta-feira cerca de 283 brasileiros já manifestaram o interesse de voltar", anunciou. Do total de brasileiros detidos 5% não devem retornar porque têm problemas mais graves com a Justiça relacionados ao tráficode drogas ou outra ilegalidade não relacionada com a imigração irregular: "De qualquer maneira, há interesse do governonorte-americano no retorno dos brasileiros, uma vez que são gastos cerca de U$ 65 dólares por pessoa para mantê-los nasprisões norte-americanas", concluiu o parlamentar mineiro.

Agencia Estado,

09 de janeiro de 2004 | 14h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.