Brasileiros ilegais seguem presos nos Estados Unidos

A situação dos 40 brasileiros encontrados em Harlingen, Texas, dentro de um caminhão a cerca de 120 quilômetros da fronteira dos Estados Unidos com o México, deve começar a ser definida na próxima semana. Como ocorre com todo imigrante ilegal preso na fronteira, caso o grupo, que inclui mulheres e crianças, admita às autoridades americanas a entrada irregular no país, será estabelecido um rito sumário de deportação. O processo demora cerca de 10 dias - contados a partir do sábado, dia 16, quando foram achados pelos agentes. Enquanto isso, os brasileiros seguem encarcerados. O condutor do veículo, identificado apenas como cidadão americano, foi acusado de contrabando de pessoas, e deverá responder a processo nos Estados Unidos. Os coiotes chegam a cobrar US$ 4 mil pela travessia, mesmo quando se trata de crianças. No caso de qualquer um dos brasileiros negar-se a admitir a imigração clandestina, contratando para isso um advogado, o processo se estende. Conforme o Consulado-Geral do Brasil em Miami e o Departamento de Segurança Interna (DHS), tal procedimento na maior parte das vezes só resulta em gasto desnecessário de recursos. Normalmente, esses processos de deportação se estendem até três meses após uma decisão judicial sobre o caso.

Agencia Estado,

24 Fevereiro 2007 | 12h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.