Brasileiros que teriam ligação com Abadía são presos no Uruguai

Grupo preso com 485 kg de cocaína seria uma ramificação do Cartel comandado pelo colombiano detido no País

Reuters,

19 de agosto de 2007 | 16h16

Dois brasileiros e cinco colombianos foram presos neste domingo, 19, com 485 quilos de cocaína ao norte do Uruguai. A prisão foi feita pela polícia antinarcóticos do Urugua. A droga, vinda do Brasil em um pequeno avião no sábado, 18, foi descoberta imediatamente após a aeronave fazer uma parada em Salto, a cerca de 500 quilômetros ao norte de Montevidéu. Segundo a imprensa uruguaia, a droga é colombiana e a quadrilha presa seria uma ramificação do Cartel do Norte do Valle, cujo líder, Juan Carlos Ramírez Abadía, foi preso no dia 7 de agosto em São Paulo.   Repercussão na mídia internacional Traficante tem fortuna avaliada em R$ 3,4 bi Traficante colombiano está no Brasil há 3 anos Imagens da operação que prendeu Abadia Conheça os mais famosos criminosos que escolheram o Brasil como refúgio      Abadía era procurado nos EUA por tráfico de drogas e pelo assassinato de 15 pessoas, incluindo policiais. No Brasil, ele é acusado por lavagem de dinheiro, motivo pelo qual foi capturado inicialmente.   Os dois brasileiros detidos no Uruguai são os dois pilotos do avião, enquanto o estabelecimento havia sido comprado recentemente por pessoas de nacionalidade colombiana, informaram os meios de comunicação. Autoridades policiais e antinarcóticos afirmaram que em algumas horas poderiam confirmar a apreensão da droga e a prisão dos estrangeiros. Segundo a mídia, a operação contra o tráfico de drogas continuará por outras 48 horas nos países da região.     Perfil   Nos anos 80, antes de começar a trabalhar no tráfico de droga, Abadía era um jovem de classe média alta, universitário e adorava cavalos. Em pouco tempo, se tornaria em um possível sucessor dos barões do Cartel de Cali, junto com o amigo Juan Carlos Ortiz. Em 1996, os dois se entregam à Justiça colombiana. O Departamento de Justiça dos EUA pediu sua extradição nessa época, por envolvimento com o Cartel de Norte del Valle.   O país não foi atendido e Chupeta, como é apelidado, cumpriu quatro dos 24 anos a que foi condenado - o traficante foi beneficiado pela confissão dos crimes. Suspeita-se que o traficante mantinha controle sobre os negócios mesmo dentro da prisão. A poucos dias de ser solto, seu amigo Ortiz foi assassinado. A autoria do crime foi atribuída ao novo sócio de Chupeta, Wílber Varela.   Ramirez Abadia é um dos nove membros do Cartel de Norte del Valle processados pelos EUA. Ele é acusado de enviar anualmente centenas de toneladas de cocaína a Los Angeles e San Antonio, por rotas marítimas e aéreas que partiam da costa do México. O traficante também é responsável pela criação sua própria rede distribuidora de drogas em Nova York e se dedicava ao transporte e comércio de heroína. Até a sua prisão, suspeitava-se que o traficante se escondia no Chile, Uruguai e Argentina.  

Tudo o que sabemos sobre:
tráfico de drogasAbadía

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.