Brasileiros que vivem no exterior também poderão votar

Mais de 86 mil dos cerca de dois milhões de brasileiros que moram no exterior poderão votar na eleição para presidente da República no domingo, dia 1º de outubro. De acordo com a Justiça Eleitoral, 86.359 brasileiros se cadastraram nas embaixadas ou consulados onde poderão votar. Mais de 100 cidades em 58 países já receberam as urnas para a votação, sendo 240 eletrônicas e 55 manuais.O titular da Zona Eleitoral do Exterior, João Luís Fischer Dias, informou que mesmo os que estão em situação irregular têm direito ao porque eles não estão ilegais em relação à legislação eleitoral brasileira.Nas cidades onde menos de 30 brasileiros estão cadastrados para votar não haverá posto de votação. É o caso, por exemplo, de Paso de los Libres, na Argentina, da capital iraniana, Teerã, de Suzuka, no Japão, e de outros 30 municípios, como informa a Agência Brasil.Nesses locais, os brasileiros poderão votar nas embaixadas e consulados de cidades próximas e com maior número de eleitores. De acordo com a Justiça Eleitoral, a maior parte dos eleitores que vivem no exterior está nos Estados Unidos, ou seja, 32.016 cidadãos. O segundo maior contingente, 7.630 eleitores, mora em Portugal. Na Alemanha, votam 4.515 brasileiros e na Inglaterra, 3.540. O menor grupo está na cidade uruguaia de Rio Branco, onde apenas um brasileiro se cadastrou.RepresentatividadeOs brasileiros no exterior representam menos de 0,1% do total de eleitores do país. De acordo com o cientista político David Fleischer, só poderiam interferir no resultado de uma votação se dois candidatos tivessem quase o mesmo número de votos, possibilidade remota numa eleição em que mais de 120 milhões de cidadãos estão aptos a votar.O Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal treinou 56 servidores de chancelaria do exterior e quatro do Ministério das Relações Exteriores. Eles vão capacitar servidores para atuar nos locais de votação no exterior. Ao todo, 1,2 mil pessoas estão envolvidas com o processo eleitoral fora do País. Como qualquer brasileiro, os que moram no exterior têm o dever de votar ou justificar o voto. Caso contrário, ficam sujeitos a multa e não podem requerer visto diplomático, passaporte e outros documentos em embaixadas e consulados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.