Brasileiros reabrem casa noturna que foi templo da 'Playboy' em Miami

Todo mundo se lembra ou já ouviu falar das animadas festas promovidas nos Clubes Playboy por Hugh Hefner, lendário e visionário fundador da revista Playboy, lá pelas décadas de 60 e 70. Miami não apenas sediou um destes míticos espaços, como também tinha um algo a mais, um hotel chamado Playboy Plaza.

29 de novembro de 2013 | 11h12

E, como podemos imaginar, não era um hotel como os outros. No fundo - com entrada separada e uma escada privativa, por onde desembarcava Hefner de seu helicóptero -, ficava a mais badalada casa de shows da região, conhecida como Penthouse, que recebeu grandes nomes como a dupla Steve Lawrence e Eydie Gorme, Ike e Tina Turner e Sammy Davis Jr.

Mas, aos poucos, o charme foi diminuindo, o hotel vendido, a casa de shows mudou de dono e, para coroar o mau momento, no início dos anos 80, a revista Time publicou uma matéria de capa com o título Paraíso Perdido, se referindo a Miami.

Mas isso tudo vem mudando nos últimos anos.

E, agora, a história do "Paraíso Reencontrado" está sendo contada por brasileiros, que estão tomando conta da cidade: comprando imóveis, abrindo comércio e, semana que vem - durante a temporada do Art Basel, o maior festival de arte dos Estados Unidos -, Miami vai testemunhar a reinauguração em grande estilo da ex-"Penthouse" da Playboy com novo nome: Miami Grand Theater.

E, claro, tem toque de brasileiro aí.

O teatro, que fica dentro do hotel que hoje se chama Castle, na Collins Ave, 5.445, em Miami Beach, e é patrimônio tombado pela cidade, foi adquirido por um grupo de investidores franceses e brasileiros, reformado e será inaugurado com a mesma pompa de quando abriu em 1970 nas mãos da Playboy.

"Será a maior reinauguração de um estabelecimento de entretenimento na história da Flórida", diz o francês Pascal Cohen, que é líder do grupo.

O Miami Grand Theater tem espaço para 700 pessoas, sem contar a sala Vip, o bar e lounge, e, o mais importante, não perdeu o charme original, como um lustre de US$ 250 mil e murais pintados pelo artista Phil Brinkman no fim dos anos 60.

Agora, os novos donos querem resgatar a alma do local. "Vamos retomar sua essência, a bela adormecida que esperava pelo príncipe", diz Pascal. "Será o templo do entretenimento em Miami."

Yara Gouveia, empresária e corretora de imóveis, é uma das sócias no empreendimento.

"Miami tem bons restaurantes, discotecas e teatros, mas não tinha ainda um local onde se podia jantar, dançar e assistir a um show ao mesmo tempo", diz Yara Gouveia. "Fico muito orgulhosa de fazer parte deste momento, principalmente por ser mais uma brasileira participando da retomada desta bela cidade."

A grande estreia da casa está sendo coordenada com o grupo de Nova York, o 5DXperience, com festas que prometem ser memoráveis e convidados do nível dos que visitavam o estabelecimento na época da Playboy.

Jill Buchanan, presidente do grupo, artista e produtora dos eventos, diz que "Miami viverá noites inesquecíveis no MGT". Todos os eventos - de 4 a 7 de dezembro, durante a semana de Art Basel - serão fechadíssimos, para manter a privacidade das celebridades convidadas.

A primeira noite será um evento para angariar fundos para a fundação Born This Way, de Lady Gaga. E tem grande chance de a própria aparecer para a inauguração do MGT, quando Jill estará lançando também um novo clube exclusivo e secreto, 5DSocitey, que vai unir pessoas - muitas celebridades - que têm como objetivo comum transformar o mundo em um lugar melhor por meio da arte e da filantropia.

"Amor é nossa mensagem", diz Jill.

Parece utópico, mas Pascal diz que esta filosofia se encaixa perfeitamente à dele.

"Aprendi cedo que é melhor ser do que ter", diz, emocionado, ao se lembrar das lições de vida que recebeu do pai, jogador de futebol semiprofissional, apaixonado pelo Brasil de Pelé, e da mãe, uma importante bailarina da Opéra de Paris, nos anos 50.

"O Miami Grand Theater pertence aos artistas. É mágico", diz Pascal, que tem uma alma mais brasileira do que muitos de nós. "Somos somente um instrumento da história. O teatro é o grande protagonista, que estava apenas nos esperando."

E 2014, aguarde! O Miami Grand Theater espera promover eventos no próximo ano que marcarão a historia desta época - e reviver o passado com algumas visitas de grandes nomes, inclusive Hefner. Ele só não vai poder chegar de helicóptero e entrar pela sua escada privativa.

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    Direto de Miami

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.