Brasileiros são presos na Espanha acusados de falsificação

Grupo seria especializado em falsificarpassaportes e permissões de residência; esquema teria rendido R$ 151 mil

Efe,

05 de novembro de 2007 | 15h53

A polícia espanhola prendeu 13 brasileiros acusados de pertencer a uma quadrilha especializada em falsificar passaportes portugueses e permissões de residência espanholas. Segundo o Ministério do Interior espanhol, a quadrilha tinha centro de operações em Valência, na Espanha, e contava com falsificadores, distribuidores e captadores de clientes. Os suspeitos ofereciam a possibilidade de entrar no mercado de trabalho como cidadãos portugueses graças à documentação falsa. Levando em conta o número de documentos falsificados, a polícia estima que a quadrilha teve lucro de 60 mil euros (cerca de R$ 151 mil). Nas últimas semanas, o chefe da quadrilha, um brasileiro que mora em Valência, tinha comprado uma impressora sofisticada com a qual pretendia confeccionar um número maior de documentos falsos. A polícia apreendeu material de informática, carimbos com logotipos institucionais, suportes para a confecção de documentos, chapas de impressão, além de documentos falsos prontos para entrega.

Mais conteúdo sobre:
FalsificaçãoPassaportes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.