Polícia da Catalunha
Polícia da Catalunha

Brasileiros são presos na Espanha acusados de sequestros

Suspeitos fariam parte de quadrilha que assaltava bancos e fazia sequestros relâmpago; dois estariam foragidos

Anelise Infante, BBC

23 de junho de 2009 | 05h36

A polícia espanhola prendeu três brasileiros e um argentino acusados de fazer parte de uma quadrilha que assaltava bancos e realizava sequestros relâmpago. Os suspeitos foram presos em flagrante, quando preparavam mais um assalto.

Os brasileiros Anderson G.P., de 22 anos, Sidnei A., de 27, e Talles F.P, de 26, e o argentino Victor Sebastián V., de 21 anos, foram presos na cidade de Terrasa, região metropolitana de Barcelona, com documentos falsos. Segundo a polícia, eles estavam saindo de um carro para assaltar um banco na hora da prisão. Foram encontradas armas e munição dentro do veículo.

Outros dois brasileiros integrantes da quadrilha estariam foragidos. A polícia espanhola emitiu uma ordem de prisão internacional e pediu ajuda à Interpol para localizá-los. A Polícia Federal foi avisada, para o caso de os suspeitos terem fugido para o Brasil.

A quadrilha vinha sendo investigada desde março passado, depois do sequestro relâmpago de um gerente de banco e sua família, em Barcelona. A família foi amordaçada e ameaçada de morte durante uma noite inteira, até que na manhã seguinte o gerente pôde abrir a caixa forte do banco e entregar 150 mil euros para os bandidos.

Perigosos

Em maio, a polícia descobriu outro caso de sequestro relâmpago também de um gerente bancário, que foi vigiado durante 40 dias pelos suspeitos.

Na semana passada a quadrilha teria tentado assaltar um banco no município de Sabadell, também na periferia de Barcelona mas, segundo a polícia, a operação foi abortada porque havia muita gente na rua na hora prevista para o crime.

"Além de perigosíssimos, eles eram muito meticulosos, preferiam desistir quando viam que a estratégia de fuga não estava garantida", disse o inspetor chefe Toni Mariscal, em nota à imprensa.

No último dia 12 de junho os suspeitos estavam esperando a chegada do gerente para abrir uma agência bancária em Terrasa, quando foram surpreendidos pela polícia, que só divulgou a prisão da quadrilha na segunda-feira.

Os quatro suspeitos usavam perucas, luvas de borracha e uniformes de pintores de parede. No carro foram encontrados cinco revólveres, cordas e munição. Segundo a polícia, os acusados guardavam recortes de jornais do sequestro relâmpago do gerente e sua família. Eles foram indiciados por sequestro, assalto, posse ilegal de armas, roubo de carros e falsidade ideológica.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.