Brasília e Rio não querem manter Beira-Mar

O ministro da Justiça, Reale Junior, admitiu hoje que durante o período que o traficante Fernandinho Beira-Mar ficou preso na Polícia Federal, em Brasília, houve seis tentativas de resgate do bandido. Segundo o ministro, Beira-Mar deve continuar preso no Rio de Janeiro, onde foi condenado. Essa entretanto, não é a opinião do secretário de Segurança do Rio, Roberto Aguiar, que defende a transferência do traficante para Brasília. O assunto foi discutido na reunião de hoje dos secretários estaduais de segurança pública com o ministro da Justiça. O secretário de Justiça de Brasília, Athos Faria, não concorda em receber de volta o traficante. Segundo ele, o Distrito Federal não tem condições de receber bandidos de alta periculosidade, por ser a sede do Poder e ter muitas embaixadas. O ministro da Justiça evitou polemizar a operação do Ministério Público do Rio, que, apoiado por policiais militares e sem comunicar ao governo do Estado, apreenderam sete celulares e material para a montagem de uma central telefônica no presídio Bangu I, no Rio. Para o ministro, o importante é que a ação foi eficiente para desmontar a rede do tráfico. "Há uma rede que está sendo desfeita", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.