Briga com a igreja motivou demissão de Joãosinho Trinta

A briga com a igreja Católica e a exploração do sexo no enredo sobre camisinha, foram as principais causas da demissão do carnavalesco Joãosinho Trinta da escola de samba Acadêmicos do Grande Rio, segundo seu presidente Hélio Ribeiro de Oliveira, e seu patrono, Leandro Soares, sobrinho do presidente de honra Jaider Soares. "Ele levou (a briga) para dentro da Escola, com promotor e tudo no barracão. A Grande Rio nunca teve nem tem problema com qualquer religião. O problema do Joãsinho foi muita conversa e pouco carnaval", disse Oliveira. Hélio e Leandro ainda não escolheram quem será o substituto. Eles contaram que a decisão foi tomada há cerca de dez dias e comunicada oficialmente hoje a Joãosinho. "A comissão de Carnaval ainda vai se reunir para escolher quem fica como carnavalesco", disse Leandro.Joãosinho Trinta fez os três últimos carnavais da Grande Rio, sobre o profeta Gentileza, em 2002; sobre a Vale do Rio Doce, no ano passado; e sobre o uso da camisinha este ano. Hélio e Leandro garantiram que qualquer que seja o resultado a demissão de Joãosinho será mantida. "Esta insatisfação já vinha desde o ano passado, pois ele não chegava onde a gente queria, um enredo mais sério e mais social", explicou Oliveira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.