Brigadeiro critica divulgação de 'hipóteses' indicadas na CPI

Indignado, José Kersul Filho disse à CPI que tudo o que falou até agora 'se baseou em hipóteses'

02 de agosto de 2007 | 15h11

O chefe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), brigadeiro Jorge Kersul Filho, declarou à CPI do Senado, nesta quinta-feira, 2, que tudo o que falou até agora "não tem nenhum valor científico, tudo se baseou em hipóteses". Ele se mostrou irritado com os vazamentos de informações confidenciais sobre a explosão do Airbus da TAM no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo,no último dia 17.   Veja também:   Caixa-preta aponta que piloto não conseguiu desacelerar Airbus   CPI quer inquérito sobre vazamento de dados da caixa-preta  Quem são as vítimas do vôo 3054  Cronologia da crise aérea  Vídeos do acidente  Tudo sobre o acidente do vôo 3054          O chefe do Cenipa afirmou que os deputados, ao divulgarem os dados secretos na  quarta-feira, violaram normas da aviação internacional, e isso prejudica o Brasil. O presidente da CPI do Senado, senador Tião Viana (PT-AC), concordou com Kersul e afirmou que a CPI da Câmara, ao fazer a divulgação, faz com que o Brasil se comprometa diante dos organismos internacionais aeronáuticos.   Viana disse que o respeito aos tratados internacionais "parece que não ocorreu ontem". Kersul respondeu: "Não ocorreu ontem e não tem ocorrido."   O chefe do Cenipa disse que aparelhos como as caixas-pretas dos aviões foram inventados "para se fazer prevenção, para o erro de uma pessoa não ser cometido por outra, e por isso é importante o sigilo, é importante que os países respeitem os tratados internacionais."     Sem conclusões   Durante seu depoimento, Kersul disse também que o órgão possui apenas dados originados de investigações nos equipamentos da aeronave da TAM, na pista de Congonhas e na própria empresa, e que ainda é cedo para tirar conclusões das investigações.   Ele disse que, por enquanto, não teria nada a acrescentar que pudesse ajudar a elucidar os motivos da tragédia e que "muitas coisas sem embasamento foram publicadas.   "Ficamos perguntando quais interesses estariam por trás disso". O brigadeiro afirmou também que o principal objetivo do Cenipa é contribuir para a melhoria da segurança dos vôos no País.   Ao mesmo tempo, na sessão da CPI desta quinta, serão ouvidas quatro autoridades do setor aeronáutico. Além de Kersul, está presente o presidente da Empresa de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), brigadeiro José Carlos Pereira, o presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi, e o presidente da TAM, Marco Antonio Bologna.     (Colaborou João Domingos)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.