Brincando com arma atirou na cabeça do amigo

Foi preso e autuado em flagrante, no 1º DP de Osasco, o arquivista André Carlos Estevam, de 21 anos, que diparou um revólver de calibre 32 e atingiu na cabeça seu amigo, o ajudante geral Gabriel Martins de Souza, também de 21 anos, que se encontra internado em estado grave no Hospital Geral daquele município da Grande São Paulo. A agressão aconteceu domingo à tarde, na casa de André, à Rua Bom Conselho, 54, na Vila Yolanda.A polícia foi chamada ao hospital, assim que Gabriel deu entrada. Lá chegando, os PMs encontraram André, que socorreu o amigo e ficou esperando os policiais para apresentar-se. Ele os levou à própria casa. Mas a sala, onde o disparo aconteceu havia sido lavada e almofadas manchadas de sangue foram retiradas, prejudicando-se assim o local para perícia da Polícia Científica.No quarto de André, os PMs encontraram a arma e projéteis de calibre 32. Havia uma caixa com 50 e 10 outros jogados sobre a cama, um deles deflagrado. Segundo o agressor, o disparo foi acidental. Ele contou que, pela manhã, fumou um cigarro de maconha e estava com a mente bastante confusa. Gabriel reside na Rua Castanheiras, 91, no bairro Cidade das Flores. Quando ele chegou André resolveu dar-lhe um susto, com o revólver do pai.Em seu depoimento, o acusado diz que foi ao quarto do pai e apanhou a arma num armário. Tirou as balas que estavam no tambor e não reparou que havia ficado na direção da agulha. Estava "brincando" de ameaçar o amigo, quando a arma disparou. Ele ficou preso e só será liberado se o juiz assinar o relaxamento de seu flagrante.

Agencia Estado,

06 de setembro de 2004 | 07h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.