Britânica é presa por vender bebê a dois casais pela internet

A britânica Moira Greenslade foicondenada nesta sexta-feira por um tribunal da cidade deLeeds, na Grã-Bretanha, a dois anos de prisão por tentar venderpela internet seu bebê a pelo menos dois casais quando aindaestava grávida. Moira, que tem 33 anos e vive na cidade de West Yorkshire, nonorte da Inglaterra, foi sentenciada depois de ter sidodeclarada culpada por ter violado as leis de adoção do país. Por meio de uma página na internet cujo tema principal era"mães de aluguel", Moira ofereceu sua filha em meados de 2003,simultaneamente para dois casais interessados em adotar umacriança. A britânica ainda conseguiu assinar um outro contrato,com um terceiro casal interessado em conseguir um bebê. Em fevereiro do ano passado, a britânica conseguiu um acordocom o primeiro casal, de origem escocesa, no valor de 13 mileuros, cerca de o equivalente a R$ 41 mil, e recebeu de formaadiantada R$ 6.500. Depois disso, Moira enganou um segundo casal, do País de Gales que lhe pagou uma quantia de R$ 4 mil pelo bebê. Uma semana antes do seu parto, Moira cancelou os dois acordosque havia feito, ao conseguir arrumar um terceiro casalcomprador, que pagou mais de R$ 32 mil para poder ficar com arecém-nascida. Diante disso, as duas primeiras famílias decidiram comparecerà polícia britânica e delatar o caso. Em dezembro do ano passado, Moira foi detida no hospitalPrincess Ann, no norte da Inglaterra, pouco tempo após dar à luzuma menina. O juiz Richard Henriques, encarregado de sentenciar Moira,afirmou hoje que o comportamento da mulher prejudicou osserviços de adoção do país. Para o juiz, a britânica é umapessoa "oportunista e farsante". "As pessoas honradas ficarão escandalizadas com seucomportamento cínico e cruel", disse Henriques, que concluiu: "Édever de nosso tribunal proteger setores vulneráveis dacomunidade dos desonestos." A menina - que não teve o nome revelado - hoje está com 5meses de idade e está em um orfanato, sob cuidados dos serviçossociais britânicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.