Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Brumadinho tenta desobstruir estrada e encontra corpo de vítima

Equipe de agentes que trabalhava na remoção de lama para tentar liberar uma das principais estradas da cidade teve de paralisar o trabalho porque achou um corpo em meio aos rejeitos

André Borges, enviado especial

02 de fevereiro de 2019 | 03h54
Atualizado 02 de fevereiro de 2019 | 08h15

BRUMADINHO (MG) - Uma equipe de agentes que trabalhava nesta sexta-feira, 1, na remoção de lama para tentar liberar uma das principais estradas de Brumadinho teve de paralisar seu trabalho porque encontrou um corpo enquanto retirava o rejeito. A equipe não era especializada em busca e salvamento.

A informação foi confirmada pelo secretário de meio ambiente de Brumadinho, Daniel Hilário de Lima Freitas. “Nossa equipe que estava lá teve que paralisar mesmo os trabalhos, porque não é responsável pela retirada das vítimas. Chamamos o Corpo de Bombeiros, que veio para transportar o corpo. O trabalho de desobstrução da estrada foi retomado no fim da tarde”, disse.

A rota, segundo Freitas, é usada para ligar Brumadinho a seus principais distritos e também a Belo Horizonte, a pouco mais de 100 quilômetros de distância. Atualmente, há três estradas de Brumadinho que estão completamente bloqueadas. Por causa disso, o deslocamento que normalmente levaria 15 quilômetros, por exemplo, acaba se transformando em viagens de 70, 90 quilômetros de distância. 

Para Entender

Brumadinho: perguntas e respostas sobre a tragédia na barragem da Vale

Veja questões referentes ao desastre, como o impacto do rompimento da barragem, punição e medidas adotadas para evitar novos acidentes.

A prefeitura acredita que, até a próxima terça-feira, a estrada em que o corpo foi encontrado nesta sexta deverá ser desobstruída e liberada para o tráfego. As outras duas estradas engolidas pela lama, porém, não têm prazo para liberação, devido ao grande volume de rejeito que acumulam e à possibilidade maior de haver vítimas fatais nas regiões.

BUSCAS

Os trabalhos dos bombeiros, militares, voluntários e cães farejadores foram retomados na manhã deste sábado, 2, em Brumadinho. Segundo o último balanço, 115 pessoas morreram, 71 corpos foram identificados e 248 pessoas continuam desaparecidas. 

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), vai a Brumadinho e deve se pronunciar neste sábado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.