Bruno e Macarrão são transferidos para prisão em Bangu, no oeste do Rio

Na Divisão de Homicídios, jogador e amigo ocupavam celas improvidas; assédio é grande

Pedro Dantas, de O Estado de S. Paulo

08 de julho de 2010 | 11h56

   

 

RIO - O goleiro Bruno Fernandes e o amigo dele, Luiz Henrique Ferreira Romão, conhecido como Macarrão, foram transferidos nesta tarde para o presídio Bangu 2, no Complexo Penitenciário de Gericinó, zona oeste da capital fluminense.

 

Veja também:

linkPolícia pede a prisão de suspeito de ter estrangulado Eliza

linkOssos de Eliza foram concretados, diz menor

linkBruno: 'Copa de 2014 acabou'

especialCronologia do caso

 

"Pela repercussão do crime, não temos como acomodá-los com nossas pequenas carceragens, tanto pelo assédio da imprensa quanto pela curiosidade dos populares. Acionamos a Secretaria de Administração Penitenciária, que entendeu a nossa solicitação e vai acolher os dois presos", declarou o delegado Orlando Zaccone, responsável pelo sistema de controle de presos da Polícia Civil do Rio,

 

Na Divisão de Homicídios, Bruno e Macarrão ocupavam celas improvisadas de, no máximo, 8 metros quadrados, mas não dividiam a carceragem com nenhum outro preso. Os dois se entregaram ontem a após terem a prisão decretada pela Justiça.

 

Junto com um adolescente de 17 anos, primo de Bruno, ambos foram indiciados pelo sequestro da ex-amante do atleta Eliza Samudio, de 25 anos, que dizia ter tido um filho com o jogador. Na terça-feira, o adolescente afirmou que a vítima foi sequestrada no Rio e morta em Contagem (MG).

 

Nova defesa. O advogado Michel Assef Filho abandonou a defesa do goleiro após a suspensão do contrato do atleta com o Flamengo. "Eu o representava porque ele era jogador do clube. Após a suspensão do contrato, surgiu o conflito de interesse", disse.

 

De acordo com ele, Bruno reagiu bem e entendeu a desistência do caso por parte de um dos maiores escritórios de advocacia do Rio de Janeiro. "Bruno está sendo bem tratado e está bem", limitou-se a dizer o advogado sobre o estado do jogador.

 

Assef Filho anunciou ainda que o novo advogado de Bruno é Ércio Quaresma, que já defende a mulher de Bruno, Dayanne Rodrigues, e o amigo dele Luiz Henrique Ferreira Romão, conhecido como Macarrão, que foi preso junto com o jogador no fim da noite de ontem.

 

Apesar de a polícia ter informado que Bruno e Macarrão se negaram a dar declarações, Assef Filho reafirmou que o jogador prestou depoimento e disse desconhecer o sequestro da ex-amante.

 

Texto atualizado às 14h15.

Tudo o que sabemos sobre:
Bruno FernandesEliza Samudio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.