Burocracia

Estou tentando me aposentar, porém a Caixa Econômica Federal (CEF) não fornece um documento que preciso para que o INSS conceda o benefício. Fui funcionária da CEF, tenho 70 anos e há mais de 1 ano dei entrada no pedido de aposentadoria por idade. O problema é que, apesar de ter o tempo de trabalho registrado na carteira profissional e a CEF ter fornecido uma carta atestando que trabalhei lá, o INSS precisa de uma Certidão de Tempo de Contribuição de 20/7/60 a 10/2/69, que foi solicitada ao Centro de Recursos Humanos (CERHU) da Caixa há um ano. A resposta que obtenho é que "estão procurando", mas até hoje não consegui recebê-la. Estou doente e dependo só desse documento para receber minha aposentadoria.ISABEL OLIVIA C. A. VIEIRASão PauloA Assessoria de Imprensa da Regional Paulista da Caixa Econômica Federal informa que em outubro de 2007 deu início ao tratamento da demanda referente à sra. Isabel, que solicitava a Certidão de Tempo de Contribuição (CTC), conforme carta de exigência do INSS. Para tal atendimento, explica, foi encaminhado pela Caixa o ofício CERHU e a Declaração de Tempo de Serviço ao INSS no mês de outubro de 2007, a fim de solucionar a pendência. Esclarece que, em maio de 2008, a Relação de Contribuição ao Sasse, documento também necessário ao processo, foi enviada à representante da referida senhora. Por não ter registrado nenhum outro contato da interessada depois daquela data, a Caixa considerou o pedido solucionado. Acrescenta que, após esta queixa, enviou cópias da Certidão de Tempo de Serviço para a leitora e para sua advogada.Na malha finaSoube que a Receita Federal testaria um sistema informatizado que estuda o padrão do contribuinte, para evitar que uma pessoa tenha a declaração retida na malha fina várias vezes, mesmo sem cometer nenhuma infração. Minhas duas últimas declarações de Imposto de Renda ficaram retidas por "possíveis inconsistências nos gastos com saúde" e a restituição só foi liberada após eu comparecer pessoalmente na sede da Receita. Gasto mais de 10% da minha renda bruta anual com tratamentos de saúde. Tenho sequelas de poliomielite, uso órtese, bengalas canadenses e cadeiras de rodas, tudo pago com o dinheiro de meu salário. Esperava não ter de enfrentar novamente essa maratona, mas, ao consultar o site da Receita, acabo de descobrir que minha declaração está com pendências novamente. Isso é justo? ELISABETE ARAKISão PauloTenho 57 anos e nunca obtive um recibo com CPF ou CNPJ de dentistas, médicos e advogados. Somente recebi documentos sem esses dados. Já ouvi histórias a respeito de pessoas que "compram" recibos desses profissionais para abater esses gastos no Imposto de Renda. A fim de denunciar os maus profissionais, o contribuinte tem de escrever uma petição e protocolá-la num posto da Receita Federal para que, então, o Fisco comece a se movimentar e apure a sonegação. Para que serve, então, o site da Receita? Por que esses profissionais não são obrigados a dar nota fiscal com CPF ou CNPJ aos seus clientes e pacientes?ADELTO GONÇALVESSão PauloA Receita Federal não respondeu.Informações confusas Conforme exigência do Departamento de Trânsito (Detran), fiz a Inspeção Veicular. Desde então tento solicitar o reembolso do valor pago. Quando coloco os dados do veículo no site da Prefeitura, aparece a mensagem dizendo que tenho alguma pendência. Ao tentar verificar qual é a pendência, também no site, aparece a seguinte mensagem: "Não foram encontradas pendências." Por causa dessa confusão, meu filho foi fazer a consulta diretamente na Prefeitura, onde também foi informado de que eu não tenho pendências. O que posso fazer? A quem devo recorrer? DINA BLAJ SCHAFFERSão PauloA Secretaria do Verde e do Meio Ambiente não respondeu.Divulgação indevidaSou assinante de uma linha telefônica da NET e meu número foi divulgado pelo serviço 102 e pelo site da Telefônica, apesar de eu ter solicitado que não o divulgassem.LUIZ EDUARDO ALVES DE SIQUEIRASão PauloFernanda Piccablotto, da Gestão de Clientes da NET São Paulo, informa que a empresa entrou em contato com o leitor, em 7 de julho, para informá-lo sobre a solução da questão.As cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas. Cartas sem esses dados serão desconsideradas. Respostas não publicadas são enviadas diretamente aos leitores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.