Busato critica Lula por não participar de debate na OAB

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Roberto Busato, criticou no início da tarde desta quarta-feira o presidente Luiz Inácio Lula da Silva por não comparecer ao debate promovido pela entidade. "Estranhamos e lamentamos a decisão do presidente Lula, que foi um amigo desta casa, que lhe deu guarida e abrigo quando ele foi perseguido", disse Busato.Para o presidente da OAB, ao não comparecer ao debate, Lula "frustrou" não só a entidade, mas também a cidadania. Segundo Busato, Lula recebeu o convite para participar do evento, no mesmo dia que o candidato tucano, Geraldo Alckmin, mas somente 16 dias depois, véspera do debate, enviou carta comunicando o não comparecimento.Em carta que foi lida por Busato, Lula alegou ter outros compromissos de campanha, já pré-agendados, que não permitiriam sua participação. Busato disse, ao abrir o debate, que a instituição não tem candidato e nem partido.Divisão do PaísBusato também afirmou que não é bom o clima das campanhas eleitorais de Lula e Alckmin. Para ele, o principal problema é a tentativa de separação dos brasileiros. O presidente da OAB disse que esse clima de divisão não faz parte da história do País."Acredito que o clima não é bom. Não é bom e ele parte dos dois lados. Eu acredito que os dois candidatos tenham um discurso basicamente igual, nesse campo. E isso nos preocupa, fundamentalmente", afirmou Busato."Acredito que uma divisão, uma separação entre os brasileiros seria o ponto mais claro e explosivo nesse campo. Não podemos partir para a divisão do País, isso nunca ocorreu nesse País. Eu me lembro do espírito em que o Brasil estava quando das últimas eleições para presidente da República. Era um clima de muita disputa, mas um clima absolutamente saudável. Agora, nós vemos esse clima de divisão que, absolutamente, não faz parte do contexto histórico brasileiro", concluiu. O ´debate´O debate durou cerca de duas horas, com uma exposição do candidato sobre seus planos na primeira meia hora. Após a exposição, Alckmin seria questionado por cinco conselheiros federais da OAB - um para cada região do País - e mais dois ex-presidentes nacionais.A bancada de entrevistadores foi formada pelos seguintes advogados: Jefferson Luis Kravchychyn, de Santa Catarina (representando a região Sul), Ulisses César de Sousa, do Maranhão (representando a região Nordeste), Manoel Bonfim Correia, do Tocantins (região Norte), Luiz Cláudio Silva Allemand, do Espírito Santo (região Sudeste) e Ussiel Tavares, do Mato Grosso (região Centro-Oeste). Os membros honorários vitalícios que participarão do debate são Reginaldo Oscar de Castro e Rubens Approbato Machado.Este texto foi alterado às 20h11 com inclusão de informação

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.