Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Busca por caixa-preta do voo 447 continua, dizem franceses

Objetos já não emitem sinais sonoros, mas BEA afirma que ainda há chance razoável de eles serem encontrados

Agência Estado, Associated Press

30 de junho de 2009 | 12h01

Apesar de as caixas-pretas do Air France A330, que caiu há um mês no Oceano Atlântico quando fazia a rota Rio-Paris, já não emitirem mais sinais, as buscas pelos gravadores de voz e dados da cabine de comando prosseguirão, informaram nesta terça-feira, 30, investigadores franceses. Martine del Bono, porta-voz da agência francesa de investigação de acidentes aéreos (BEA), disse que "as buscas continuarão" enquanto houver uma chance "razoável" de as caixas-pretas serem localizadas.

Veja também

linkMarinha faz homenagem às vítimas do voo 447

lista Todas as notícias sobre o Voo 447

especialEspecial: Os desaparecidos do voo 447

especial Especial: Passo a passo do voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas do Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: buscas da FAB pelo Voo 447

mais imagens Galeria de fotos: homenagem às vítimas

especialCronologia das tragédias da aviação brasileira

especialCronologia dos piores acidentes aéreos do mundo

Os gravadores emitem sinais por até 30 dias depois de um acidente. Eles são considerados essenciais para determinar o que causou a queda do avião. O Brasil encerrou a busca por corpos na última sexta-feira. Nesta terça faz exatamente um mês desde que o avião caiu, ainda no espaço aéreo brasileiro, matando as 228 pessoas a bordo.

 

Durante as buscas, a Força Aérea Brasileira e a Marinha encontraram vários destroços do avião, com ajuda de equipes do Senegal e França. Além disso, restos mortais de 50 passageiros foram encontrados. Na segunda, a Marinha brasileira fez uma homenagem a todas as vítimas do voo 447 em Recife.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.