Busca por estudante brasileiro que caiu no mar diminui

O cearense João Felipe Martins de Melo, de 17 anos, desapareceu há seis dias com um instrutor e um estudante neozelandês

Lauriberto Braga - Especial para o Estado de S. Paulo,

13 Agosto 2012 | 17h46

FORTALEZA - As buscas pelo estudante cearense João Felipe Martins de Melo, de 17 anos, desaparecido no mar da Nova Zelândia, diminuíram. Desaparecido há seis dias juntamente com um instrutor e um estudante neozelandês, João Felipe fazia escalada no Parque Paritutu, quando escorregou e caiu de um penhasco.

As autoridades da Nova Zelândia não trabalham mais com a possibilidade de encontrá-los vivo e acreditam que os corpos possam aparecer na superfície do mar da Nova Zelândia nos próximos dias, ao longo da costa de New Plymouth.

"Estamos rezando bastante e confiantes na força principalmente de João Felipe, que é praticante de esportes radicais e é jovem. Acreditamos que nossas orações serão atendidas e ele seja localizado vivo", diz uma tia de João Felipe, Klébia Lustosa. Dois tios do brasileiro acompanham as buscas na Nova Zelândia.

Equipe. Oceanógrafos fizeram um mapeamento das marés e correntes oceânicas para auxiliar nas buscas. Mas até agora nada foi encontrado. As buscas são feitas atualmente por dois barcos salva-vidas, dois caiaques e mais 15 pessoas entre bombeiros, pessoal da Cruz Vermelha e voluntários. No início das buscas eram cinco barcos e 50 pessoas envolvidas.

João Felipe estava na Nova Zelândia há oito meses fazendo um intercâmbio cultural e tinha passagem marcada para voltar ao Ceará em outubro próximo.

Mais conteúdo sobre:
buscas mar Nova Zelândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.