Buscas a avião desaparecido serão retomadas neste domingo

As buscas ao avião bimotor que desapareceu na noite desta sexta-feira foram interrompidas na noite deste sábado e serão reiniciadas neste domingo, assim que houver visibilidade. O Grupamento Aéreo (Graer) do Espírito Santo tinha iniciado as buscas, às 5 horas deste sábado, com um helicóptero da Polícia Militar e dois aviões da FAB, mas até as 18h30 ainda não havia informações sobre o aparelho, que provavelmente sobrevoava a região próxima à cidade de Aracruz quando perdeu contato com a torre de controle e sumiu do radarDesaparecimentoA aeronave desapareceu, na noite desta sexta-feira, no norte do Espírito Santo, 20 minutos depois de ter decolado do aeroporto de Vitória, às 19h37, onde aterrissara para abastecer, às 16h46. O bimotor partiu do aeroporto de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio, com o piloto, o tenente-coronel da Força Aérea Brasileira (FAB) Alduíno Coutinho de Souza, e mais cinco pessoas de sua família: a mulher, dois filhos e duas noras. Tinha como destino final a cidade baiana de Porto Seguro, mas, com pouca autonomia de vôo, teve de fazer a parada de reabastecimento na capital capixaba.Segundo a assessoria da Infraero em Vitória, não há informações sobre eventuais reparos técnicos que pudessem ter sido feitos durante a parada no aeroporto. Situação irregularO cadastro da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informa que o aparelho estava em "situação técnica irregular" e o Relatório de Condição de Aeronavegabilidade (RCA), vencido. Por estes motivos, o bimotor teve a "situação de aeronavegabilidade suspensa". O consultor de segurança Ronaldo Jenkins, do Sindicato Nacional de Empresas Aéreas (Snea), explicou que uma aeronave nessas condições está impedida de voar."Pode ser um problema operacional ou burocrático. Pode haver alguma falha que ponha em risco o sistema de segurança ou apenas um documento que ainda não foi apresentado. A pendência pode ter sido resolvida na última sexta-feira e não ter entrado ainda no sistema eletrônico. Ainda é cedo para afirmar qualquer coisa", diz Jenkins. Ele lembrou que as aeronaves estão sujeitas a vistorias anuais e uma série de outros procedimentos de segurança. No caso de venda, há ainda exigências para a transferência de propriedade.Um piloto que estava neste sábado no aeroporto de Jacarepaguá, e não quis se identificar, explicou que em apenas uma situação uma aeronave com navegabilidade suspensa pode voar: se precisar retornar para sua base de operação. Mas, para isso, precisa obter uma autorização provisória da Anac.Sem informaçãoNo aeroporto de Jacarepaguá, nenhuma informação sobre o vôo foi repassada à imprensa, apenas o horário da decolagem, que teria sido às 14 horas, afirmou um operador de tráfego aéreo que se identificou apenas como Ney. Segundo pessoas que acompanham a operação de resgate, pescadores teriam avistado destroços de avião no mar.O avião Seneca, modelo PA-34-200 e prefixo PT-ISF, é de propriedade do tenente-coronel da FAB Alduíno Coutinho de Souza, membro do Aeroclube Paulista, que o pilotava. Tem autonomia de combustível para cerca de cinco horas de vôo e, segundo especialistas, seu limite de altura é de 12 mil pés, já que não tem cabine pressurizada. O Seneca é um avião utilizado em cursos de treinamento de vôo por instrumentos e multimotor. Com poucos passageiros, ele poderia ter feito sem interrupções a rota Rio-Porto Seguro. Mas, por estar com sua capacidade de ocupação máxima, ele seria mesmo obrigado a fazer escala de abastecimento entre o Rio e Porto Seguro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.