Buscas ao rapaz desaparecido no Tietê serão retomadas neste domingo

Já dura mais de 21 horas o drama da família de Robert Rosa da Silva, desaparecido desde que o carro em que estava caiu nas águas do rio Tietê próximo à Ponte Cruzeiro do Sul, região centro-norte da capital paulista. O acidente ocorreu no início da madrugada deste sábado após o rapaz perder o controle de seu Fiat Pálio, que era ocupado também por Viviane Silva, sua namorada. O casal voltava de uma festa de casamento.O carro, que seguia no sentido Penha-Lapa, atravessou uma trilha utilizada por caminhões que atuam nas obras de expansão e jardinagem ao longo do leito e foi parar dentro do rio. Robert e Viviane conseguiram sair do carro pelas janelas antes que o veículo afundasse. O Pálio foi encontrado às 18 horas deste sábado pelos Bombeiros, que usaram um aparelho com imã na ponta, num trecho a 100 metros da Ponte Cruzeiro do Sul, mas não havia ninguém dentro dele. Durante todo o dia, houve buscas pelos 15 quilômetros do rio até a divisa com Osasco, na Grande São Paulo. A namorada de Robert foi resgatada pelos Bombeiros a 400 metros do local do acidente antes de perder de vista Robert, levado pela correnteza. "Ele tentou vir na minha direção e olhou para mim e disse que não conseguia. Eu não sei nadar e então fiquei me debatendo. Depois fui me acalmando e percebi que estava conseguindo boiar. Conforme eu tentava procurar ele eu afundava, então resolvi ficar quieta até alguém me pegar", relatou Viviane.O pai de Robert, Norberto da Silva, acompanhou todo o trabalho dos Bombeiros, que foram encerrados no início da noite do último sábado e só serão retomados a partir das 6h30 deste domingo. "Tenho a esperança de encontrá-lo vivo, pois tudo indica que ele saiu a nado", afirmou Norberto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.