Cabelo, MPB e ecologia marcam 2ª noite do Carnaval em SP

Sete agremiações se apresentam no Sambódromo neste sábado; Ariano Suassuna e Jaguariúna também são temas

Elisa Estronioli, SÃO PAULO

02 de fevereiro de 2008 | 15h00

SÃO PAULO - A segunda noite do carnaval de São Paulo conseguiu reunir, em uma mesma noite, a história do cabelo, homenagear duas cidades paulistas e um autor paraibano, lembrar a era dos festivais e ainda por cima chamar atenção para a importância da educação e da preservação do planeta.As sete agremiações se apresentam no Sambódromo neste sábado, 2, a partir das 22h30.

Veja Também:Saiba tudo sobre a primeira noite do carnaval em SP
O Sambódromo de São Paulo
Saiba tudo sobre as escolas do Rio de Janeiro
O Sambódromo do Rio
As fotos do 1º dia de desfile em SPGalo da Madrugada, maior bloco do mundo, agita Recife
Camarote da política: governadores e prefeito caem na foliaMancha Verde faz desfile para Suassuna no AnhembiCordão da Bola Preta abre sábado de carnaval no RJ

Quem abre a noite é a Camisa Verde e Branco, de volta ao Grupo Especial, usando a criatividade para enfeitar a história do cabelo. Em seguida, é a vez da Mancha Verde prestar homenagem a Ariano Suassuna, autor do Auto da Compadecida e A Pedra do Reino, entre outras obras. A terceira agremiação a pisar no Sambódromo vem fazer um alerta: O povo da terra está abusando. O aquecimento global vem aí. A vida boa sustentável pede passagem é o enredo da X-9 Paulistana.

E que tal conhecer melhor Jaguariúna, cidade do interior de São Paulo? A Pérola Negra vai contar a história desse lugar famoso pela sua festa de rodeio.

A Vai-Vai contará a história do Instituto Bacarelli, fundado pelo maestro Silvio Baccarelli, para ensinar música a crianças e jovens da Favela de Heliópolis, na zona sul. A Mocidade Alegre, campeã de 2007, vem para homenagear a cidade de São Paulo. A linha do tempo começa na década de 20, com o Modernismo, e vai até os dias de hoje.

Fechando a noite, a Império da Casa Verde vai levar toda a riqueza da Música Popular Brasileira para a avenida. A entrada para o Sambódromo será liberada às 18 horas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.