Cabo com câmera da Globo rompe e fere 6

Acidente aconteceu durante desfile da Mangueira numa frisa da Sapucaí

Alexandre Rodrigues, O Estadao de S.Paulo

25 Fevereiro 2009 | 00h00

Uma moderna câmera da TV Globo que deslizava por cabos de aço sobre o lado ímpar do Sambódromo do Rio caiu sobre uma das frisas ocupadas pelo público no setor 9. Atingidas por cabos, seis pessoas foram atendidas nos postos médicos com ferimentos leves. A queda aconteceu pouco antes das 4 horas de ontem, durante o desfile da Mangueira. O equipamento caiu sobre duas cadeiras de uma frisa onde os ocupantes estavam de pé. Ninguém se feriu, mas as duas cadeiras foram destruídas. "O rapaz tinha levantado dois minutos antes. Se tivesse alguém ali, não sobrava ninguém. Não foi sorte, foi Deus", contou a professora Márcia Moraes, que estava numa frisa vizinha, relatando que, como o cabo de aço com o suporte da câmera começou a subir e descer rapidamente sobre as cabeças do público após a queda, a maior parte dos ocupantes das frisas se abaixou. "Foi um barulho enorme, todo mundo ficou assustado." Segundo o coronel-bombeiro Sérgio Simões, coordenador da Defesa Civil no Sambódromo, um dos cabos que sustentavam a câmera se partiu. A informação foi confirmada pela emissora, que fez pedidos de desculpas ontem nos telejornais. Em nota, a emissora informou que quatro dos feridos foram atendidos e liberados no Sambódromo. Outros dois foram levados ao Hospital Souza Aguiar para exames complementares e também liberadas. "Técnicos americanos da empresa Cable Cam, que opera o equipamento, estão analisando as causas do acidente. A TV Globo se desculpa pelo ocorrido." Vítimas se queixaram ao coordenador da Defesa Civil que funcionários da Globo retiraram a câmera do local rapidamente. Agentes da Liga das Escolas de Samba também ajudaram a suspender o cabo de aço solto. Uma perícia vai determinar as causas do acidente. No posto onde Silvia Helena Manzano, de 33 anos, foi atendida com escoriações leves na cabeça e na nuca, funcionários da TV Globo cercavam a família, a quem ofereciam assistência. Um homem que se identificou como Mário Rogerio, diretor de produção da Globo, disse que a câmera é americana e considerada segura. Segundo ele, o sobe-e-desce do cabo é parte do mecanismo de segurança que impediria sua queda imediata.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.