Cabral admite erro ao chamar bombeiros de vândalos após invasão ao Quartel

Governador do Rio afirma que anistia 'vai ao encontro desse desarmamento de espírito'

Solange Spigliatti, estadão.com.br

29 de junho de 2011 | 12h21

SÃO PAULO - Em entrevista à Rádio CBN, na manhã desta quarta-feira, 29, o governador do Rio, Sérgio Cabral, admitiu que errou ao chamar os bombeiros de vândalos, ao se referir à manifestação realizada por cerca de 440 oficiais, que invadiram o Quartel Central da Corporação no último dia 3 de junho.

 

"Eu errei quando chamei eles de vândalos. Eles erraram, se comportaram mal (na invasão do quartel), mas é uma instituição muito querida da população. Estou fazendo minha mea-culpa. A anistia vai ao encontro desse desarmamento de espírito", disse o governador.

 

Também durante a entrevista, Cabral, que é alvo de denúncias de opositores após se tornarem públicas suas relações pessoais com os empresários Fernando Cavendish, dono da Delta Construções, e Eike Batista, do grupo EBX, rebateu as críticas sobre seu envolvimento com os empresários.

 

"Eu sempre procurei separar vida privada e vida pública. Jamais tomei decisão na vida pública misturando vida privada. Quero assumir esse debate de um código de conduta", disse.

 

O caso veio à tona com a queda de um helicóptero que servia aos familiares do governador e de Cavendish. O empresário perdeu a mulher, Jordana, e o enteado. Mariana Noleto, 19 anos, namorada de Marco Antonio Cabral, filho do governador, também morreu no acidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.