Cabral Filho confirma favoritismo no Rio

A mais recente pesquisa do Instituto Datafolha sobre a disputa para o governo do Estado do Rio confirmou o favoritismo do senador Sérgio Cabral Filho, candidato do PMDB, partido da atual governadora, Rosinha Garotinho. Em relação à última sondagem, realizada em julho, Cabral Filho passou de 41% para 42%. O senador Marcelo Crivella (PRB), de 20% para 19%. A margem de erro é de 3 pontos. A deputada Denise Frossard (PPS) se manteve estável em 9%. O deputado Eduardo Paes (PSDB) também ficou estacionado, mas em 3%. Vladimir Palmeira (PT), cresceu de 1% para 2%, desempenho idêntico ao apresentado pelo candidato do PSDC, Luis Novaes. Os três últimos estão tecnicamente empatados. Milton Temer (PSOL) e Carlos Lupi (PDT) tiveram 1% cada. Os demais candidatos ficaram abaixo desse patamar. O número de eleitores indecisos também oscilou, passando de 12% para 11%. O número dos eleitores que declararam voto em branco ou nulo se manteve em 9%.O instituto informou que, tecnicamente, não é possível afirmar que o peemedebista venceria a eleição no primeiro turno. Cabral Filho teria 53% dos votos válidos, mas devido à margem de erro seu índice mínimo seria de 50%. Para vencer no primeiro turno o candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um. Cabral Filho, segundo a pesquisa, venceria Crivella com facilidade no, aparentemente improvável, segundo turno, com 56% das intenções de voto contra 29%. Em julho, a diferença era de 25 pontos percentuais. Se a oponente fosse Denise, a vantagem seria maior: 61% contra 22%.SenadoNa disputa para o Senado, a deputada Jandira Feghali (PCdoB) ampliou a distância sobre os demais, mas dentro da margem de erro. Ela passou de 20% para 21%. O deputado Francisco Dornelles (PP) caiu um ponto e aparece com 14% das intenções. Ronaldo Cesar Coelho (PSDB) também caiu um ponto e tem 7%. Alfredo Sirkis (PV) ficou estável em 3%. O número de votos em branco ou nulo baixou dois pontos e está em 15%. Já os indecisos cresceram de 27% para 33%.O Datafolha ouviu 1.246 eleitores, em 34 municípios, na segunda e na terça-feira. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral do Rio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.