Cabral não descarta pedido de ajuda ao governo federal

O governador eleito do Rio de Janeiro, Sergio Cabral Filho (PMDB), disse, nesta quinta-feira, que não se deixará intimidar pela ação criminosa e não tolerará novos ataques. Em nota, Cabral se manifestou sobre a onda de violência que atingiu o Rio de Janeiro na madrugada desta quinta-feira e não descartou pedir ajuda ao governo federal após tomar posse."Faremos um policiamento ostensivo nas ruas e, se necessário, vamos convocar a Força Nacional de Segurança Pública", afirmou o governador eleito. A atual governadora do Estado, Rosinha Matheus, ainda não se pronunciou sobre os atentados. O secretário de comunicação do governo estadual, Ricardo Bruno, disse que a princípio ela não comentará a onda de ataques.A onda de ataques que atingiu a capital fluminense na madrugada desta quinta-feira deixou pelo menos 18 mortos. Ao todo, foram registrados 12 ataques a delegacias e postos policiais. Até as 13h, foram confirmadas as mortes de nove civis, dois policiais e sete bandidos.De acordo com o secretário de Segurança do Estado, Roberto Precioso, os atentados foram uma reação dos bandidos a possíveis mudanças no sistema penitenciário, por causa da troca de governo. No entanto, há suspeitas de que traficantes tenham agido em represália às ações da Polícia Militar em alguns morros da cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.