Cabral não se mostra preocupado com a violência no Rio

Governador disse que Estado está agindo no combate ao crime durante reunião com membros do COI

Bruno Lousada, O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2009 | 12h37

Ao ser perguntado sobre como combater a violência no Rio de Janeiro nos Jogos Olímpicos de 2016, o governador do Estado, Sergio Cabral, não se mostrou tão preocupado com a questão, e citou a operação realizada na manhã desta sexta-feira, 30, em que a Polícia investigou e prendeu "laranjas" e bens dos traficantes do Morro do Borel, na Tijuca, zona norte da capital fluminense.

 

"Em última análise, a parte mais sensível do corpo humano é o bolso. Estamos enfraquecendo-os duplamente com a pacificação nas comunidades e afinal quanto custa um ponto de venda de drogas 'dominado', como eles dizem, na Babilônia (Morro da Babilônia, no Leme, zona sul); Chapéu Mangueira (Morro do Chapéu Mangueira, zona sul); Dona Marta (Morro Dona Marta, em Botafogo, zona sul) e Cidade de Deus (em Jacarepaguá, zona oeste)?", questionou. "O Rio já provou que em eventos internacionais somos plenos", afirmou.

 

O governador participou nesta manhã do seminário de orientação do Comitê Olímpico Internacional (COI) para o Comitê Organizador da Olímpiada do Rio junto com o prefeito da cidade, Eduardo Paes, o ministro do Esporte, Orlando Silva, e o presidente do comitê, Carlos Arthur Nuzman. Também participaram sete membros do COI, entre eles o suíço Gilbert Felli, diretor executivo dos Jogos Olímpicos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.