Cabral reconhece que faltam ao menos 20 mil policiais no Rio

Governador falou da carência na segurança na formatura da PM; 200 soldados farão policiamento comunitário

Agência Brasil,

15 de janeiro de 2009 | 16h57

A polícia do Rio tem uma defasagem de mais de 20 mil homens, disse nesta quinta-feira, 15, o governador do Estado, Sérgio Cabral. Ele comentou a carência de pessoal na área de segurança pública fluminense ao participar da cerimônia de formatura de 677 soldados da PM. Veja também:Paes e Cabral assinam convênio para aumentar salário de PMs Acompanhado do secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, Cabral anunciou que 250 formandos serão destacados para o policiamento comunitário a partir de fevereiro. Antes disso, os soldados vão fazer treinamento de 20 dias no Batalhão de Operações Especiais (Bope). De acordo com Cabral, 200 homens serão deslocados para a Cidade de Deus, dominada por traficantes, e 50 para a favela do Batan, em Realengo, onde há a atuação de milícias. Os novos policiais, assinalou ele, vão ajudar a reprimir o tráfico e a ação das milícias. "Efetivamente, por ausência do Estado, da mesma maneira como cresceram os traficantes, cresceram os milicianos e nós temos que enfrentá-los. Assim como existem os bandidos do tráfico de drogas desejosos de ocupar territórios para vender a cocaína, a maconha e o ecstasy, os bandidos da milícia dominam territórios para vender serviços, como segurança, gato net, botijão de gás e o transporte ilegal", disse Cabral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.