Cabral se irrita e encerra entrevista após questões sobre Turnowski

'Não vou fazer juízo de valor. Estamos em uma democracia', disse o governador após ser perguntado sobre o possível indiciamento por vazar informações relativas à Operação Guilhotina

Wilson Tosta, O Estado de S. Paulo

16 de fevereiro de 2011 | 12h53

RIO - O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho (PMDB), encerrou, irritado, uma entrevista à imprensa que concedia no início da tarde desta quarta-feira, 16, após participar da solenidade de renovação do Programa de Apoio a Hospitais do Interior (PAHI), no quartel central do Corpo de Bombeiros do Estado. O motivo da irritação de Cabral foram perguntas sobre o possível indiciamento pela Polícia Federal do ex-chefe da Polícia Civil Allan Turnowski, por supostamente vazar informações relativas à Operação Guilhotina, uma investigação envolvendo corrupção policial no Rio.  

Veja também:

linkTurnowski nega que tenha vazado informações e vai depor de novo à PF

linkPolícia Civil será chefiada por mulher pela 1ª vez

linkRealidade lembra roteiro do 'Tropa de Elite 2'

blog Análise - Batalha de Beltrame está apenas começando

blog Cenário - Milicianos têm rede de informantes em delegacias

documento Editorial - Corrosão é um dos problemas mais graves na polícia

"Não vou fazer juízo de valor. Estamos em uma democracia", disse o governador, que, momentos antes, voltara a agradecer publicamente Turnowski por seu trabalho à frente da corporação. Como alguns jornalistas insistiram por um comentário sobre o assunto, Cabral se retirou, após repetir que a política de segurança no Rio não sofre interferências políticas e é de responsabilidade do secretário de Segurança, José Mariano Beltrame.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.