Cachorra pit bull dá à luz 17 filhotes em Ribeirão Preto

Nina, uma cachorra da raça pit bull, de três anos e meio, protagonizou um fato raro na manhã da última sexta-feira, 17 de fevereiro, em Ribeirão Preto. Ela teve 17 filhotes, sendo que um deles morreu. "É um fato raríssimo, considerando-se que a raça é de porte médio", disse o veterinário Mussi Antonio de Lacerda. Segundo ele, o normal seria uma cria de seis a oito filhotes, no máximo. "Pra mim é inédito, um recorde." A dona da cachorra já faz planos: venderá os 16 filhotes sobreviventes quando eles completarem um mês de vida. "Me surpreendeu", afirma a dona de Nina, Karen Carolina Siqueira. Segundo ela, já existem quatro pessoas interessadas num filhote. Ela disse que, apesar de muitas críticas à raça, que às vezes atacam as pessoas, ela nunca teve problemas. "E eu peguei a Nina quando ela já tinha um ano e meio", destaca Karen. Os 16 filhotes serão amamentados por Nina e também por mamadeiras, com leite artificial, entre 15 e 20 dias, pois a cachorra tem apenas oito mamas, insuficientes para a sua cria. O estado de saúde dos pit bulls recém-nascidos é bom, segundo o veterinário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.