Cacilda Becker será reaberto com palco maior

Do original, só restaram as paredes laterais; sete casas receberão reforma

Mônica Cardoso, O Estadao de S.Paulo

07 de abril de 2009 | 00h00

Sete dos nove teatros públicos de bairro de São Paulo devem ser restaurados pela administração municipal. "O que faltava aos equipamentos públicos era manutenção. A ideia é que, até o fim do ano, já estejamos na fase final de recuperação de todos os teatros públicos", afirmou o prefeito Gilberto Kassab (DEM). A cidade também deve ganhar mais dois teatros de bairro. "Ainda estamos em estudo, mas pensamos em instalá-los na Freguesia do Ó, na zona norte, e na Vila Prudente, zona leste", avalia o secretário municipal de Cultura, Carlos Augusto Calil. No Cacilda Becker, na Lapa, zona oeste, as obras começaram em março do ano passado. A previsão de término é em junho deste ano. O custo total da reforma chega a R$ 3,3 milhões. "É praticamente uma reconstrução, um novo teatro. Do original, só restaram as duas paredes laterais", explica Renato de Oliveira Proença, coordenador do teatro. Segundo ele, desde a abertura, há 21 anos, o espaço já apresentava problemas de vazamento. O início das obras atrasou três meses por conta da retirada de três árvores localizadas na lateral do imóvel. "O prédio do teatro não era tombado, mas o entorno dele, sim", diz o engenheiro Luiz Carlos Arlanche, da empresa Épura, responsável pela reforma. O pequeno tablado será ampliado de 75 m² para quase 100 m². Para isso, os camarins, antes localizados nas laterais do palco, foram deslocados para o fundo. Os bastidores agora contam com três banheiros, copa, oficina do cenário, sala de ensaio, banheiro para funcionários, área para maquiagem e depósito.A altura do teto do tablado também foi ampliada e ganhará um urdimento, equipamento que possibilita a troca de cenários durante o espetáculo. Serão instalados também ar-condicionado central e isolamento acústico nas paredes e no teto.Para se adequar às normas de acessibilidade, foram construídas rampas dos lados externo e interno. O número de assentos diminuiu - passou de 212 para 195. Agora, serão quatro lugares para cadeirantes e dois para obesos. Haverá ainda duas vagas para automóveis adaptados para deficientes físicos. OUTROS PROJETOSAlém do Cacilda Becker, outros teatros da capital também devem ser restaurados. As obras do Teatro da Biblioteca Paulo Setúbal, no Aricanduva, na zona leste, começaram em novembro do ano passado e a previsão de término é em maio. O Alfredo Mesquita, em Santana, na zona norte, teve a licitação concluída e as obras devem ser iniciadas em breve.Outros quatro teatros aguardam a fase de licitação: Flávio Império, em Cangaíba, Martins Penna, na Penha, e Arthur Azevedo, na Mooca, todos na zona leste, e o Paulo Eiró, localizado em Santo Amaro, na zona sul de São Paulo. A reforma no Décio de Almeida Prado, no Itaim-Bibi, zona sul, terminou no ano passado, quando foi transformado de auditório de biblioteca em teatro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.