Cães vagam à espera dos donos

Poucas cenas resumem tão claramente a tragédia que se abateu em Santa Catarina quanto os inúmeros cachorros de estimação que tiveram de ser abandonados e agora rumam sem destino pelo Vale do Itajaí, à procura de comida e de seus donos. Como os abrigos não podem receber animais, eles representam um pouco da vida que foi deixada para trás em nome da sobrevivência. Em cidades como Gaspar, Luiz Alves, Navegantes, Itajaí e Ilhota, é possível ver vários poodles, bassês, pastores e vira-latas com coleiras rondando as comunidades que foram evacuadas.A Associação Itajaiense de Proteção de Animais (Aipra) estima que pelo menos 1 mil cães e gatos morreram na cidade com as enchentes. O número de abandonados nem sequer foi calculado. A Aipra e ONGs estão recebendo doações de ração e irão montar um cadastro único dos animais encontrados pelas ruas para que os donos possam encontrá-los quando voltarem para casa. "Já recebemos doações de 5 mil toneladas de ração", diz Cristina Freitas, vice-presidente da Aipra. "Estamos com três carros nas ruas, indo de bairro em bairro para dar água e comida aos cachorros que estão à espera dos donos. Tiramos várias fotos. Criaremos um banco de dados de quem procura e de quem achou os animais, para que todos retomem suas vidas o mais rápido possível."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.