Caetano e maracatus abrem festa do Recife

Com 600 batuqueiros, baiano participa de folia pernambucana

Angela Lacerda, RECIFE, O Estadao de S.Paulo

20 Fevereiro 2009 | 00h00

O percussionista Naná Vasconcelos assume a batuta e comanda, a partir das 19 horas de hoje, o show de abertura do carnaval do Recife, na Praça do Marco Zero, pelo nono ano consecutivo. A apresentação de 600 batuqueiros, de 14 nações de maracatu, contará neste ano com a participação de Caetano Veloso. O músico, na noite de anteontem, ensaiou repertório composto por Lua de São Jorge, Meia Lua Inteira e Alegria, Alegria, no ritmo afro-brasileiro.Depois da abertura, os foliões poderão curtir show de Maestro Forró e Orquestra da Bomba do Hemetério, Coral Edgar Moraes - que canta frevos líricos - e Miúcha. Pelos 16 polos de folia da cidade - oito no centro e oito na periferia - se apresentarão 320 artistas, como Maria Rita, Pitty, Leci Brandão, Otto, Nação Zumbi e o francês Manu Chao.Os shows de graça são apenas uma das atrações de Pernambuco. Desde a semana passada, troças, bois, maracatus, ensaios de escolas de samba e muito frevo dominam o Recife e a vizinha Olinda. Os festejos também se esparramam pelos municípios da região metropolitana e interior. A Secretaria Estadual de Turismo estima receber 750 mil visitantes da semana pré-carnavalesca até a Quarta-Feira de Cinzas. Para curtir o carnaval é necessário apenas entrar no clima da brincadeira e sair atrás de uma troça. Em Pernambuco, a história é o diferencial. Frevo, por exemplo, não é simplesmente frevo. Há o frevo de rua - instrumental - que leva o passista a uma dança frenética. Há também o frevo de bloco - que canta o lirismo dos carnavais de antigamente. Acrescente à festa o frevo-canção, cujas letras abordam mais relatos de vida.Os maracatus confundem até quem é da terra. Maracatu de baque virado remonta da primeira metade do século 19 e é ligado ao candomblé, com ritmo forte. O maracatu de baque solto, nascido nos engenhos de cana-de-açúcar, tem outro ritmo e movimento, com instrumentos diferentes. Seu grande destaque é o caboclo de lança, com sua lança de cerca de 2 metros e seu chapéu de fitas coloridas."É o carnaval mais popular, mais autêntico e mais bonito que temos notícia no planeta Terra", afirmou o governador Eduardo Campos (PSB), ao abrir a festa, na semana passada. Todo pernambucano concorda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.