Divulgação
Divulgação

Caetano e Gil criticam aprovação de maioridade na Câmara

Em vídeo publicado no Facebook, cantores citaram 'manobra política esquisita' e dizem que 'série de implicações novas' vai surgir

O Estado de S. Paulo

03 de julho de 2015 | 10h15

VIENNE - Em turnê pela Europa, os cantores e compositores Caetano Veloso e Gilberto Gil divulgaram no Facebook nesta quinta-feira, 2, um vídeo em que criticam a aprovação na Câmara dos Deputados da proposta de redução da maioridade penal de 18 para 16 anos em casos de crimes hediondos, homicídio doloso (com intenção de matar) e lesão corporal seguida de morte.

"Quando eu acordei vi que - embora não tivesse passado -, numa manobra, durante a madrugada, na Câmara passou a redução da maioridade penal. Eu sou contra", disse Caetano.

@caetanoveloso e @gilbertogil ficaram chateados com a aprovação na Câmara da redução da maioridade penal no Brasil. #NãoARedução #NãoAReduçãoDaMaioridadePenal #CVGG100 #CaetanoVeloso #GilbertoGilPosted by Caetano Veloso on Quinta, 2 de julho de 2015

Gil concordou e declarou que não vê "vantagem nenhuma". "Ao contrário, tem uma série de implicações novas e complicações que vão surgir com essa coisa de redução da maioridade", afirmou. "Além do mais, houve uma manobra política esquisita para aprovar. Então, somos contra."

STF. Parlamentares contrários à decisão do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de ter retomado a votação da maioridade penal após uma derrota do tema, vão entrar com um mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) contestando o comportamento de Cunha na próxima terça-feira, 7. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira, 2, após uma reunião com deputados de diversas bancadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.