Café na casa do prefeito conquista Câmara

No dia a dia, ele faz questão de tratar bem principalmente quem o critica

Bruno Paes Manso e Diego Zanchetta, O Estadao de S.Paulo

10 de abril de 2009 | 00h00

O prefeito vem aproveitando para fazer o que mais gosta: corpo a corpo político. Enquanto seu núcleo comanda a parte administrativa, ele tem tempo para receber vereadores e entidades, visitar obras e receber políticos das mais variadas colorações.Difícil é encontrar algum dos 55 vereadores que nunca tenha ido ao apartamento do prefeito. A estratégia dos "cafés da manhã" nos fins de semana tem cativado a simpatia até dos mais afoitos por postos-chave em secretarias. Mesmo sem conceder cargos de primeiro escalão, Kassab tem hoje uma base fiel que agrega pelo menos 38 vereadores, apesar de ter feito corte no Orçamento e de não ter "fatiado" subprefeituras.No dia a dia, o prefeito faz questão de tratar bem principalmente quem o critica. Ele ouve, sugere, promete. Ninguém sai com um "não". O prefeito recomenda aos secretários e subprefeitos "o melhor tratamento possível" aos parlamentares petistas. No ano passado, chegou a executar no Orçamento parte de projetos previstos em emendas apresentadas pelo PT.Ele sempre promete dar um jeito nos pedidos dos parlamentares. Se não concorda com a solicitação, o prefeito costuma sugerir ideias semelhantes. Tem sido assim até com o chamado "baixo clero" do Legislativo. Sempre acessível, o prefeito costuma cativar os vereadores ao ouvir, muitas vezes por horas a fio, pedidos pontuais como o asfaltamento de uma rua da periferia ou a solicitação de um cargo em subprefeitura. Mas, na hora de dizer o "não", o ônus fica com o quadro dos coronéis da PM nas subprefeituras.Os cafés em seu apartamento já renderam bons resultados. Nas votações de projetos polêmicos, como o Nova Luz, por exemplo, na semana passada, o prefeito obteve o aval de 40 parlamentares. Nesta semana também passou o pacote de projetos ambientais - apelidado de Cidade Limpa 2. Nesses primeiros cem dias da nova legislatura da Câmara, aliás, o prefeito também não teve nenhuma dificuldade para aprovar em primeiro turno o projeto de concessão urbanística e a legalidade da revisão do Plano Diretor. SEM POLÊMICASKassab também tem estreitado o contato com ONGs e associações de moradores. No domingo retrasado, por exemplo, surpreendeu ao aparecer em um evento da Associação Viva Pacaembu, entidade que tem disparado contra a revisão do Plano Diretor e contra o projeto das concessões urbanísticas. Kassab se disponibilizou a discutir mudanças e anunciou um projeto comemorado pela comunidade: a construção de uma garagem subterrânea para alunos da Faap.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.