Cafés de Paris precisam ceder espaço nas calçadas e comércio se revolta

O plano da prefeitura da capital francesa de reduzir a superfície ocupada pelos cafés, que se espalham pelas calçadas em algumas ruas muito frequentadas, causou o furor dos proprietários. Eles têm o sol, os lenços e os cigarros - mas, para os habitantes de um dos pontos mais famosos da capital francesa, um dos elementos da primavera parisiense está sendo seriamente ameaçado. A prefeitura adotou há duas semanas severas medidas contra os cafés nas calçadas da histórica Rue Montorgueil, no centro, alegando que seus "terraços" ao ar livre ocupam demasiado espaço.O projeto, que limita a superfície que cadeiras e mesas poderão ocupar em relação à rua, provocou revolta entre os proprietários dos cafés dessa via movimentada, repleta de lojas, que já atraiu a rainha da Inglaterra para a mundialmente famosa padaria Stohrer. David Zenouda, presidente da associação de comerciantes locais, disse ao Le Parisien que o movimento pode cair entre 30% e 40% e reuniu 5 mil assinaturas num manifesto contrário. A nova determinação prevê que as calçadas devem apresentar um espaço livre de pelo menos 1,60 metro. Em caso de descumprimento da legislação, a multa inicial é de 750.Jacques Boutault, o prefeito local do Partido Verde, declarou que as restrições são estritamente coerentes. Embora seja a quinta rua mais visitada de Paris, a Rue Montorgueil não é inteiramente um calçadão, e precisa também permitir a passagem de alguns veículos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.