Cai número de vítimas de acidentes no Rio no 2º mês da lei seca

Em relação ao mesmo período de 2007, número de vítimas caiu 16%, segundo o Corpo de Bombeiros

Agência Brasil,

28 Agosto 2008 | 09h55

O número de vítimas de acidentes de trânsito atendidas no Rio de Janeiro no segundo mês em que vigora a Lei Seca caiu 16% em relação ao mesmo período de 2007, segundo o Grupamento de Socorro de Emergência (GSE) dos Bombeiros. Esse número equivale a menos 283 atendimentos.   Veja também: Em 2 meses de Lei Seca, governo deixa de gastar R$ 48,4 mi Íntegra do relatório apresentado pelo Ministério A lei seca, em números  Os efeitos do álcool e os limites da Lei Seca  Lei Seca tem aprovação de 72% em São Paulo  Entenda os principais pontos da Lei Seca   Todas as notícias sobre a Lei Seca      O centro da cidade foi a região que registrou maior diminuição de acidentes de carro, em torno de 10%. Em seguida, vem a Barra da Tijuca, com queda de 7%.   O comandante do Grupamento de Socorro de Emergência, Marcelo Canetti, afirmou que ainda é cedo para anunciar o motivo dessas variações no números de acidentados. Ele afirmou, no entanto, que, com a Lei Seca, muitas vidas estão sendo preservadas. "A Lei Seca provavelmente contribuiu para essa diminuição dos acidentes e o número é significativo. Houve praticamente 700 vítimas de acidentes de trânsito a menos em comparação com o mesmo período do ano passado. Muitas pessoas deixaram de sofrer lesões devido à nova lei", disse.   De acordo com o comandante Marcelo Canetti, em 1998, quando o Código de Trânsito Brasileiro entrou em vigor e se tornou obrigatório o uso do cinto de segurança, o número de feridos e mortos no trânsito também caiu. Ele ressaltou que não houve diminuição no número de acidentes.   O Grupamento de Socorro de Emergência atende cerca de 80% das vítimas em batidas e atropelamentos envolvendo automóveis.   Outros números da lei seca   Postes atingidos - Em São Paulo, o número de postes atingidos caiu após a lei seca, de acordo com a Eletropaulo. Em 40 dias de vigor da lei, entre os dias 10 de maio e 19 de junho, houve uma redução de 24% no número de postes atingidos.   Atendimentos em hospitais - O número de atendimentos a vítimas em acidentes de trânsito em hospitais de São Paulo caiu quase pela metade nos dois primeiros meses de vigência da lei seca, segundo a Secretaria de Saúde do Estado. De acordo com levantamento da Secretaria, o número de atendimentos foi 49,2% menor nos dois primeiros meses em relação ao período de dois meses imediatamente anterior à entrada em vigor da medida. Na comparação, são cerca de 9 mil acidentados a menos, informou a Secretaria, por meio de nota à imprensa.   Atendimentos feitos pelo SAMU - Depois que a nova legislação entrou em vigor, as operações do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) caíram 14,86% - de 11.918 nos 30 dias antes da vigência da lei para 10.146 nos 30 dias posteriores. Apesar dessa melhora, o número de acidentes sem vítimas, de acordo com dados da Polícia Rodoviária Federal, aumentou e inflou a estatística referente ao total de acidentes. Entre junho e agosto deste ano, nos primeiros 60 dias da lei seca, os acidentes aumentaram 4,3% - de 20.446, em 2007, para 21.327, neste ano.   Texto ampliado às 10h27 para acréscimo de informações.

Mais conteúdo sobre:
lei seca lei seca no Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.