Cai sigilo de ação contra presidente do STJ

Decano do Supremo Tribunal Federal, o ministro Celso de Mello acabou com o sigilo que impedia acesso a uma petição na qual um ex-estagiário do Superior Tribunal de Justiça acusa o presidente da Corte, Ari Pargendler, de injúria. Em despacho assinado ontem, Celso de Mello afirma que a regra é dar publicidade às investigações. Para ele, o fato de o investigado ser um juiz não garante o sigilo da apuração e tratamentos diferenciados são incompatíveis com o princípio republicano. Em outubro, Marco Paulo dos Santos, de 24 anos, registrou queixa alegando ter sido agredido verbalmente por Pargendler e demitido em seguida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.