Caixa-preta de trem pode ter sido violada

Somente nesta terça-feira, 19 dias após o descarrilamento de trem no Km 99 da Serra do Mar, no trecho compreendido entre as estações de Acaraú e Paratinga, em São Vicente, litoral do Estado de São Paulo, a Ferronorte entregou a caixa-preta da locomotiva acidentada à Polícia.Durante o acidente com a composição, que trazia 4 mil toneladas de soja para o Porto de Santos, o maquinista Ourismar José Vieira Gonçalves, de 49 anos, morreu, e o agente de tráfego Luciano Cardoso, de 26, ainda se encontra desaparecido.O equipamento foi retirado pela empresa no dia 22 de maio, antes mesmo da chegada dos peritos da Polícia Civil, que até agora não tiveram acesso ao material, que poderia indicar as condições de tráfego do trem na hora do acidente.Um dia após a ocorrência, a direção da Ferronorte descartou a possibilidade de falha mecânica. Mas a Polícia não descarta a hipótese de violação da caixa-preta, que será melhor avaliada pela perícia. De acordo com o delegado Niêmer Júnior, o material encaminhado em embalagem lacrada só será aberto pelos peritos. Ele disse que, se ficar constatada a violação, "o fato, por si só, pode ser considerado crime".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.