Caldeira explode e fere trabalhador em Cascavel

A explosão de uma caldeira da Indústria de Óleos Diplomata, em Cascavel, a cerca de 500 quilômetros de Curitiba, no oeste do Paraná, por volta das 21h30 da noite de segunda-feira, 27, deixou um funcionário ferido, com queimaduras em mais de 80% do corpo.Peritos fizeram levantamento no local na manhã desta terça e o laudo deverá ficar pronto em 30 dias. Para garantir o trabalho dos peritos, a indústria paralisou as atividades, deixando de esmagar 700 toneladas de soja. No momento do acidente, quatro pessoas estavam dentro do barracão, mas somente José Milton Ganguine, de 49 anos, ficou ferido. Ele sofreu queimaduras, que variam entre 1º e 3º graus, provocadas pelo vapor que fica dentro da caldeira e foi liberado com a explosão. A pressão fez com que a tampa traseira fosse arremessada a cerca de 5 metros, parando apenas quando bateu em uma parede. Mesmo assim, vários tijolos foram arrancados. A chaminé estourou e uma parte do teto foi arrebentada.O superintendente agrícola da indústria, Cidemar Dalla Zen, disse que a preocupação agora é com a recuperação de Ganguine. Dalla Zen também aguarda a liberação da indústria pelos peritos. Há outras duas caldeiras que podem ser acionadas assim que for permitido. Uma caldeira nova custa em torno de R$ 1,5 milhão. "Por enquanto estão suspensos os trabalhos na indústria. Continuamos com o trabalho de recebimento de cereais até termos uma avaliação técnica e a recuperação dos equipamentos", salientou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.