Calor faz Sabesp operar no limite

Produção aumentou 14,3% neste mês e técnicos já falam em evitar excessos, para escapar do racionamento

Marcela Spinosa e Carolina Dall?olio, O Estadao de S.Paulo

05 de março de 2009 | 00h00

Com a onda de calor em São Paulo, que prossegue até o fim de semana, o consumo de água na capital aumentou consideravelmente, tanto nos imóveis quanto nas ruas. Para atender à demanda, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) elevou a produção em 14,3%, passando de 66,11 milhões de litros por segundo, em fevereiro, para 68,7 milhões de litros em março. Para se ter uma ideia, com esse volume de água uma piscina olímpica pode ser enchida em 38 segundos. "Isso (aumento na produção) é ruim porque estamos com a capacidade de produção no limite. Por outro lado estamos com os reservatórios com um nível de água razoável", disse o assistente executivo da Sabesp, Milton Seuaciuc. Ele pediu que os consumidores não tomem nem banhos demorados para evitar racionamento. E as altas temperaturas também afetam o comércio de água mineral. Só na empresa Minalba, a venda de garrafinhas aumentou 345,25% nos primeiros quatro dias do mês em relação ao mesmo período do ano passado. Enquanto em março de 2008 foram compradas 12.852 unidades, este ano a marca alcançou as 57.224 unidades. Apesar de não fornecer dados em números absolutos, a empresa responsável pela produtora da água Crystal informou que houve um crescimento de 12% nas vendas em fevereiro deste ano em comparação com o mesmo período do ano anterior. A água é importante, segundo os médicos, para manter o corpo hidratado. "O suor é uma tentativa do corpo humano de manter a temperatura em condições ideais. Mas a pessoa elimina água em excesso. Caso não reponha, isso pode provocar desidratação", afirma o clínico geral da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) Paulo Olzon. A pessoa desidratada, lembram os médicos, pode apresentar febre e, em casos graves, convulsões. O presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, Antonio Carlos Lopes, acrescenta que quando sentimos sede é porque o sangue perdeu água na composição. "O sangue viscoso pode entupir uma artéria", ressaltou. O sinal de que o corpo está hidratado é a cor da urina. Se estiver clara é sinal de que a hidratação está boa. Se estiver escura, a recomendação é beber mais água. VENTILADORESO calor ainda fez os ventiladores sumirem das prateleiras do comércio. A reportagem visitou supermercados das redes Carrefour, Wal-Mart e Extra e em nenhum deles o eletrodoméstico estava disponível. Na melhor das hipóteses, havia apenas aparelhos de ar-condicionado à venda e os vendedores informavam que não havia previsão de reabastecimento.As empresas não falam sobre falta de estoque. Mas admitem que o aumento da procura surpreendeu. Só no último fim de semana, o Extra vendeu mais de 400 mil aparelhos entre equipamentos de ar-condicionado e ventiladores em todo o Brasil. Os paulistas foram os grandes compradores. Por aqui, as vendas subiram 130% em comparação com os mesmos dias de março de 2008-. Carrefour e Wal-Mart não informaram o número de aparelhos vendidos. A Casas Bahia, principal varejista no ramo de eletrodomésticos, também não apurou ainda as vendas de março. Mas em fevereiro as lojas já haviam registrado aumento de 55,2% nas vendas desse produto. E isso ampliou o otimismo no setor, em meio aos efeitos da crise financeira. A previsão dos fabricantes é de que as vendas de ventiladores cresçam mais 10% na próxima semana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.