Calor lota praias da baixada santista

Ao meio-dia de hoje os termômetros nas praias de Santos marcavam 34º C. O calor e o sol, que apareceu desde o início da manhã, levou muitas pessoas para as praias, que mais pareciam um formigueiro humano. Apesar da grande quantidade de gente, os guarda-vidas não tiveram trabalho com os banhistas em Santos. Já no Guarujá, duas pessoas morreram afogadas na praia da Enseada e uma terceira foi levada para a UTI do Hospital Santo Amaro.As praias mais perigosas no Guarujá, segundo o tenente Alexandre Doll de Moraes, do Corpo de Bombeiros da cidade, são o Morro do Maluf, proximidades da Ilha Pompeva (para quem tenta atravessar a nado), o canto dos pescadores em Astúrias e a Praia do Tombo, que tem muitos buracos e correnteza. "E preciso também evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas. Segundo nossas estatísticas, mais de 50% das pessoas que morreram por afogamento tinham ingerido bebida alcoólica", conta ele. "O mar é traiçoeiro. Geralmente a pessoa é atraída para o local mais perigoso, que é onde a onda não quebra", diz Doll. Não só o mar tem preocupado os bombeiros nesses primeiros dias do ano. "O que está acontecendo demais esse ano é a falta de cuidado na exposição ao sol. Têm vindo muitas frentes frias e, nos dias em que sai o sol, as pessoas aproveitam para ir à praia sem proteção", conta ele. "Elas se queimam demais e transformam o lazer em transtorno." Pulseira de identificação para criançasE, como não poderia deixar de ser, as crianças também têm dado bastante trabalho aos bombeiros. Praia lotada é sinal de criança perdida. O tenente Doll aconselha aos pais com filhos pequenos que, assim que chegarem à praia, procurem um guarda-vidas que fornecerá uma pulseirinha de identificação. A pulseira leva o nome da criança e o telefone para contato, o que torna mais rápida a identificação dos pais da criança perdida.DicasAntes de entrar no mar, informe-se com um guarda-vidas sobre o melhor local para banho;O local mais seguro para banhar-se é onde quebra onda e forma-se espuma. Trechos de mar calmo significam buracos e correnteza de retorno;Não se banhe próximo a morros e costeiras, pois geralmente há correnteza nessas áreas;Evite entrar no mar perto de canais, rios e córregos, pois nesses pontos a profundidade é maior e há formação de correnteza;Não nade próximo a objetos flutuantes, como barcos e bóias. O banhista pode se enroscar em um pedaço de rede;Não consuma bebidas alcoólicas antes de entrar no mar;Evite banhar-se em trechos onde a água do mar é mais escura, pois são locais mais fundos;Se cair em uma corrente de retorno (quando o mar está "puxando"), fique calmo e tente nadar na diagonal da praia e não em linha reta em direção à areia;Se não conseguir sair da correnteza, bóie e grite por socorro;Respeite o lema dos bombeiros: água no umbigo é sinal de perigo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.