Calouro é obrigado a tomar pinga e entra em coma alcoólico

O calouro universitário Frederico Além Alves, de 18 anos, ficou quatro horas internado num hospital de Ribeirão Preto, em coma alcoólico, após ser obrigado por veteranos, durante um trote, a beber pinga. O trote ocorreu na noite de segunda-feira,5, numa avenida, e, apesar do susto, a família do estudante, que cursará administração na Universidade de Ribeirão Preto (Unaerp), não registrou boletim de ocorrência na Polícia Civil e nem irá processar os veteranos. "A Unaerp proíbe os trotes no câmpus há 15 anos e tem sanções que vão de advertência, suspensão até exclusão, embora isso nunca tenha ocorrido aqui", diz a coordenadora da Divisão de Marketing e Comunicação da Unaerp, Sônia Camargo dos Santos. "Temos um programa de recepção e integração aos veteranos e calouros com ações educativas, culturais e de responsabilidade social", emenda Sônia. O trote no estudante não foi aplicado dentro do câmpus da Unaerp. Frederico Alves e outros calouros foram retirados de dentro do campus e levados a uma das principais avenidas da cidade, perto da região central, onde tiveram os cabelos cortados e ficaram sujos de tinta, fazendo, em seguida, pedágios nos semáforos (pedindo dinheiro aos motoristas). Uma prática comum, mas que foi extrapolada depois. Alves foi obrigado a beber pinga. A ingestão da cachaça o levou a ser internado. Ele recebeu glicose e soro para reverter o quadro de coma alcoólico e só foi liberado após quatro horas de internação.

Agencia Estado,

07 Fevereiro 2007 | 19h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.