Câmara apresenta relatório sobre mortes na Providência

Relatório da Comissão de Segurança Pública e de Combate ao Crime também cita atuação do Exército

Agência Estado,

14 Agosto 2008 | 11h56

O deputado Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ) apresenta no fim da manhã desta quinta-feira, 14, o relatório do grupo parlamentar da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado que acompanhou as investigações sobre a morte de três jovens no Morro da Providência, no Rio de Janeiro. Os jovens foram assassinados em junho, depois de terem sido entregues por militares a traficantes. O relatório também trata da atuação do Exército no local.   Veja também: Rostos de vítimas são expostos em favela  Todas as notícias sobre a morte dos jovens no Morro da Providência    O grupo, constituído pelo presidente da comissão, deputado Raul Jungmann (PPS-PE), e pelos parlamentares Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ) e Jair Bolsonaro (PP-RJ), conversou com representantes do Judiciário, do Ministério Público, do Exército e dos moradores do Morro da Providência, além de parentes dos jovens assassinados.   No início do mês, o juiz Edmundo Franca de Oliveira, da 2ª Auditoria do Rio, aceitou a denúncia contra os 11 militares acusados de entregar três rapazes do Morro da Providência a traficantes da Mineira, controlado por uma facção rival. Os três jovens foram assassinados. Os militares foram acusados pela promotora Eliane Azevedo "de deixá-los para serem mortos conforme prometido pelos traficantes". Em 14 de junho, 11 militares que vigiavam as obras do Projeto Cimento Social detiveram Wellington Gonzaga Costa, de 19 anos, Marcos Paulo Campos, de 17 anos, e David Wilson Florêncio da Silva, de 24, no Morro da Providência. Os três foram levados ao Morro da Mineira. Um dia depois, seus corpos foram encontrados no Aterro Sanitário de Gramacho, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.