Câmara aprova comissão externa para investigar crise aérea

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira, 6, a criação de uma comissão externa para acompanhar e investigar os problemas no setor aéreo. Irritados com o caos provocado na terça, 5, nos aeroportos brasileiros por conta da pane ocorrida nos equipamentos de rádio que fazem a comunicação entre aviões e o centro de controle de vôo de Brasília, o Cindacta-1, deputados decidiram obter informações sobre a crise diretamente do Ministério da Defesa e do Comando da Aeronáutica. O Senado também deve criar uma comissão semelhante à aprovada pela Câmara.A comissão externa da Câmara será ligada diretamente à Comissão de Defesa e de Relações Exteriores da Casa e deverá ser presidida pelo deputado Alceu Collares (PDT-RS). Se apurar a ocorrência de irregularidades, a comissão poderá até dar origem a uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre o assunto.O caos dos aeroportos provocou uma seqüência de críticas e ataques ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Deputados e senadores cobraram em plenário, principalmente, a demissão do ministro da Defesa, Waldir Pires."Ele não tem mais condições de ser ministro da Defesa", atacou o líder do PFL na Câmara, deputado Rodrigo Maia (RJ), logo depois de votar a favor da criação da comissão externa.No Senado, o tom dos discursos foram na mesma linha. O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) apresentou requerimento para criação de uma comissão do Senado e propôs que não se votasse mais nenhum projeto até que a proposta fosse aprovada. "O ministro da Defesa é incompetente e a Aeronáutica acovardou-se", criticou.O presidente nacional do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), ocupou a tribuna do Senado também para cobrar providências do governo, depois de ter enfrentando os problemas no aeroporto, na terça, ao tentar se deslocar para Brasília."Só um país anestesiado e completamente letárgico pode aceitar o caos que estamos vivendo", afirmou Jereissati. "O que aconteceu ontem (terça) não aconteceria num país civilizado. Não acontece nem no país mais subdesenvolvido do mundo. Em qualquer país civilizado, o ministro da Defesa já teria sido demitido. O presidente da Anac já teria sido demitido. O presidente da Infraero já teria sido demitido. O presidente Lula precisa assumir sua responsabilidade e respeitar os 50 milhões de votos que recebeu", cobrou.Jereissati lembrou que é amigo pessoal de Waldir Pires, mas reconheceu que ele não tem mais condições de comandar a pasta da Defesa. "Ele é meu amigo, mas não entende nada disso. As entrevistas dele são patéticas. Ele fica olhando para o lado, diz que não sabe de nada", disse.O protesto contra os problemas nos aeroportos inclui até o senador petista Delcídio Amaral (MS), que também ocupou a tribuna para cobrar providências do governo e lembrar que os passageiros estão sendo colocados em risco e já há prejuízos econômicos provocados pela crise do setor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.